Todos os posts de Cinevitor

Sindicato dos Figurinistas anuncia os indicados ao Costume Designers Guild Awards 2019

por: Cinevitor

mammamia2cdgaindicadosJessica Keenan Wynn, Lily James e Alexa Davies em Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo.

Fundado em 1953, o Sindicato dos Figurinistas, Costume Designers Guild, começou com um grupo de 30 pessoas e hoje conta com quase 900 membros. Desde 1999, realiza o CDG Awards, premiação anual que elege os melhores figurinos da TV e do cinema. Este ano, em sua 21ª edição, os vencedores serão anunciados no dia 19 de fevereiro.

Filmes premiados pelo CDG também venceram na categoria de melhor figurino do Oscar, como: Chicago, Memórias de uma Gueixa, O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, Alice no País das Maravilhas, A Duquesa, A Jovem Rainha Vitória, Anna Karenina, O Grande Hotel Budapeste e Mad Max: Estrada da Fúria.

Conheça os indicados ao Costume Designers Guild Awards 2019 nas categorias de cinema:

EXCELÊNCIA EM FILME CONTEMPORÂNEO:
As Viúvas, por Jenny Eagan
Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo, por Michele Clapton
Nasce uma Estrela, por Erin Benach
Oito Mulheres e um Segredo, por Sarah Edwards
Podres de Ricos, por Mary E. Vogt

EXCELÊNCIA EM FILME DE ÉPOCA:
A Favorita, por Sandy Powell
Bohemian Rhapsody, por Julian Day
Duas Rainhas, por Alexandra Byrne
Infiltrado na Klan, por Marci Rodgers
O Retorno de Mary Poppins, por Sandy Powell

EXCELÊNCIA EM FILME DE FICÇÃO CIENTÍFICA OU FANTASIA:
Aquaman, por Kym Barrett
O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos, por Jenny Beavan
Pantera Negra, por Ruth E. Carter
Uma Dobra no Tempo, por Paco Delgado
Vingadores: Guerra Infinita, por Judianna Makovsky

Foto: Divulgação/Universal Pictures.

Assunto de Família

por: Cinevitor

assuntofamiliaposternovoManbiki kazoku
Shoplifters

Direção: Hirokazu Kore-eda

Elenco: Kirin Kiki, Lily Franky, Sakura Andô, Sôsuke Ikematsu, Mayu Matsuoka, Moemi Katayama, Yôko Moriguchi, Yûki Yamada, Jyo Kairi, Akira Emoto, Miyu Sasaki, Kengo Kôra, Chizuru Ikewaki, Naoto Ogata.

Ano: 2018

Sinopse: Depois de uma de suas sessões de furtos, Osamu e seu filho se deparam com uma garotinha. A princípio eles relutam em abrigar a menina, mas a esposa de Osamu concorda em cuidar dela depois de saber dos abusos que ela sofre de seus pais. Embora a família seja pobre e mal ganhem dinheiro dos pequenos crimes que cometem, eles parecem viver felizes juntos até que um incidente revela segredos escondidos, testando os laços que os unem.

Crítica do CINEVITOR: O novo filme do cineasta japonês Hirokazu Kore-eda, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes deste ano, apresenta características típicas do diretor que imprimem sua marca registrada na telona. Acostumado a narrar situações familiares, ele repete sua fórmula com maestria e, inicialmente, passeia com naturalidade pelo cotidiano de suas personagens, até acrescentar uma reviravolta tensa, dramática e ainda mais potente. Assunto de Família arranca as máscaras de seus protagonistas, delata um lado sombrio do clã, retalha laços afetivos e exibe conflitos comoventes e reveladores. (Vitor Búrigo)

*Crítica publicada na edição 110 (novembro e dezembro/2018) da Revista Preview.

*Filme assistido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo.

Nota do CINEVITOR:

nota-4-estrelas

A Esposa

por: Cinevitor

aesposaposterThe Wife

Direção: Björn Runge

Elenco: Glenn Close, Jonathan Pryce, Max Irons, Christian Slater, Harry Lloyd, Annie Starke, Elizabeth McGovern, Johan Widerberg, Karin Franz Körlof, Richard Cordery, Jan Mybrand, Anna Azcárate, Peter Forbes, Fredric Gildea, Jane Garda, Alix Wilton Regan, Nick Fletcher, Mattias Nordkvist, Suzanne Bertish, Grainne Keenan, Isabelle von Meyenburg, Morgane Polanski, Twinnie Lee Moore, John Moraitis, Michael Benz, Catharina Christie, Carolin Stoltz, Håkan Pettersson, Ossian Skarsgård, Ben Bradley.

Ano: 2018

Sinopse: Enquanto viaja para Estocolmo com o marido, que receberá o Prêmio Nobel de Literatura, Joan questiona suas escolhas de vida. Durante os 40 anos de casamento, ela sacrificou seu talento, sonhos e ambições, para apoiar o carismático Joe e sua carreira literária. Assediada por um jornalista ávido por escrever uma escandalosa biografia de Joe, agora Joan enfrentará o maior sacrifício de sua vida e alguns segredos há muito enterrados finalmente virão à tona.

Nota do CINEVITOR:

nota-3,5-estrelas

Máquinas Mortais

por: Cinevitor

maquinasmortaisposterMortal Engines

Direção: Christian Rivers

Elenco: Hera Hilmar, Robert Sheehan, Hugo Weaving, Jihae, Ronan Raftery, Leila George, Patrick Malahide, Stephen Lang, Colin Salmon, Mark Mitchinson, Regé-Jean Page, Menik Gooneratne, Frankie Adams, Leifur Sigurdarson, Kahn West, Andrew Lees, Sophie Cox, Kee Chan, Sarah Peirse, Mark Hadlow, Caren Pistorius, Poppy Macleod, Joel Tobeck, Terry Norris, Calum Gittins, Megan Edwards, Peter Rowley, Aaron Jackson, Stephen Ure, Nathaniel Lees, Paul Yates, Lynda Lester, Nick Blake, Beatrice Brophy, Lee Tuson.

Ano: 2018

Sinopse: Uma civilização foi totalmente destruída por um evento cataclísmico. Milhares de anos depois, a humanidade se adapta à uma nova maneira de viver e os poucos seres humanos que restam são forçados a morar em cidades móveis, estruturas gigantescas e mortais que destroem cidades menores para obter novos recursos. Baseada na série de livros de Philip Reeve.

Nota do CINEVITOR:

nota-3-estrelas

Filmes brasileiros são selecionados para o Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2019

por: Cinevitor

nocoracaomundoroterdaGrace Passô e Barbara Colen em No Coração do Mundo.

O Festival Internacional de Cinema de Roterdã (IFFR, International Film Festival Rotterdam) é considerado um dos maiores do mundo e destaca obras cinematográficos dirigidas por novos cineastas. Além das seções oficiais em sua programação, também apresenta retrospectivas e programas temáticos.

Neste ano, em sua 48ª edição, que acontecerá entre os dias 23 de janeiro e 3 de fevereiro, o cinema brasileiro estará representado com diversas produções. Na competição oficial, conhecida como Tiger Competition, serão dois longas: No Coração do Mundo, de Gabriel Martins Alves e Maurílio Martins; e Nona. If They Soak Me, I’ll Burn Them, da chilena Camila José Donoso, uma coprodução com o Brasil e outros países.

O júri da Tiger Competition será formado por: Alfredo Jaar, cineasta chileno; Daniela Michel, diretora do Morelia Film Festival; a produtora Katriel Schori, ex-diretora do Israel Film Fund; Pimpaka Towira, cineasta tailandesa; e Susanna Nicchiarelli, diretora italiana.

Na seção Bright Future, que apresenta uma seleção de descobertas para o futuro, todos os filmes são criados por diretores originais e de renome trazendo seu próprios estilos e visões, com reconhecimento internacional desses jovens cineastas. Aqui, o Brasil se destaca com: o documentário Fabiana, de Brunna Laboissière; A Noite Amarela, de Ramon Porto Mota; e a coprodução com o Chile, Historia de mi nombre, de Karin Cuyul.

Enquanto isso, nas seções Bright Future Premieres e Bright Future Selections, que apresentam filmes fora de competição, o cinema brasileiro aparece com três longas: Enquanto Estamos Aqui, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti; Seus Ossos e Seus Olhos, de Caetano Gotardo; e Tarde para morir joven, de Dominga Sotomayor, coprodução entre Chile, Brasil e outros países.

fabianaroterdaPriscila Cardoso e Fabiana Camila Ferreira no documentário Fabiana.

Na mostra Soul in the Eye, que faz parte da seção Perspectivas, o cinema negro brasileiro ganhará destaque, já que o Brasil é o lar da maior diáspora africana do mundo. Durante muito tempo, tudo isso foi visível no cinema, mas nos últimos anos houve um aumento impressionante no cinema negro brasileiro. A mostra celebrará essa nova geração com uma série de longas e curtas que extraem essa rica herança afro-brasileira. Clique aqui e saiba mais sobre a mostra e conheça os filmes selecionados.

Os curtas-metragens brasileiros também se destacam na programação: Primeiro Ato, de Matheus Parizi, foi selecionado para a seção Ammodo Tiger Short Competition; Caçador, de Leonardo Sette, e Crua, de Diego Leite Lima, serão exibidos na seção Voices Short.

Além disso, o cineasta brasileiro André Novais Oliveira participará do CineMart, programa que convida cineastas e produtores para apresentação de seus projetos para profissionais de cinema em reuniões individuais e apresentações abertas aos convidados. André apresentará And My Eyes Keep Smiling.

Na programação da mostra Limelight, que exibe filmes que serão exibidos nos cinemas holandeses no final do ano, destaca-se o argentino Rojo, de Benjamín Naishtat, uma coprodução entre Brasil, Holanda, França e Alemanha.

O filme de abertura deste ano será o holandês Dirty God, de Sacha Polak; o drama The Hummingbird Project, dirigido por Kim Nguyen e protagonizado por Jesse Eisenberg, Alexander Skarsgård e Salma Hayek, será exibido na noite de encerramento.

Conheça os filmes selecionados para o Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2019:

TIGER COMPETITION:

Sons of Denmark, de Ulaa Salim (Dinamarca)
No Coração do Mundo, de Gabriel Martins Alves e Maurílio Martins (Brasil)
Take Me Somewhere Nice, de Ena Sendijarević (Holanda/Bósnia e Herzegovina)
Present.Perfect., de Shengze Zhu (EUA/Hong Kong)
Sheena667, de Grigory Dobrygin (Rússia)
Nona. If They Soak Me, I’ll Burn Them, de Camila José Donoso (Chile/Brasil/França/Coreia do Sul)
Koko-di Koko-da, de Johannes Nyholm (Suécia/Dinamarca)
Els dies que vindran, de Carlos Marqués-Marcet (Espanha)

BIG SCREEN COMPETITION:

Bangla, de Phaim Bhuiyan (Itália)
The Best of Dorien B., de Anke Blondé (Bélgica)
God of the Piano, de Itay Tal (Israel)
Hail Satan?, de Penny Lane (EUA)
Joel, de Carlos Sorín (Argentina)
Queen of Hearts, de May el-Toukhy (Dinamarca)
Transnistra, de Anna Eborn (Suécia)
X&Y, de Anna Odell (Suécia/Dinamarca)

BRIGHT FUTURE | COMPETITION:

Alva, de Ico Costa (Portugal/França/Argentina)
Chèche lavi, de Sam Ellison (México/Haiti/EUA)
De nuevo otra vez, de Romina Paula (Argentina)
Doozy, de Richard Squires (Reino Unido)
Dreissig, de Simona Kostova (Alemanha)
Ende der Saison, de Elmar Imanov (Alemanha)
Fabiana, de Brunna Laboissière (Brasil)
The Gold-Laden Sheep & the Sacred Mountain, de Ridham Janve (Índia)
Heroes, de Köken Ergun (Turquia/Austrália)
Historia de mi nombre, de Karin Cuyul (Chile/Brasil)
Last Night I Saw You Smiling, de Kavich Neang (Camboja/França)
Lost Holiday, de Michael Kerry Matthews e Thomas Matthews (EUA)
Maggie, de Yi Okseop (Coreia do Sul)
Mens, de Isabelle Prim (França)
No Data Plan, de Miko Revereza (EUA)
Nocturne, de Viktor van der Valk (Holanda/Bélgica)
A Noite Amarela, de Ramon Porto Mota (Brasil)
That Cloud Never Left, de Yashaswini Raghunandan (Índia)
A Volta ao Mundo Quando Tinhas 30 anos, de Aya Koretzky (Portugal)
Walking in Darkness, de Tang Tang (China)

BRIGHT FUTURE | PREMIERES:

Aren’t You Happy?, de Susanne Heinrich (Alemanha)
Dog Days, de Timmy Harn (Filipinas)
Domains, de Natsuka Kusano (Japão)
Enquanto Estamos Aqui, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti (Brasil)
The Garden Apartment, de Ishihara Umi (Japão)
Out of Sight, Out of Mind, de Brian Follmer (EUA/México)
Parade, de Nino Zhvania (Geórgia)
The Seven Last Words, de Kaveh Nabatian, Ariane Lorrain, Sophie Goyette, Juan Andrés Arango, Sophie Deraspe, Karl Lemieux e Caroline Monnet (Canadá)
Winter After Winter, de Xing Jian (China)
Seus Ossos e Seus Olhos (Your Bones and Your Eyes), de Caetano Gotardo (Brasil)

BRIGHT FUTURE SELECTIONS:

Black Mother, de Khalik Allah (Jamaica/EUA)
Core of the World, de Natalya Meshchaninova (Rússia/Lituânia)
The Day I Lost My Shadow, de Soudade Kaadan (Líbano)
Dead Horse Nebula, de Tarık Aktaş (Turquia)
House of My Fathers, de Suba Sivakumaran (Sri Lanka)
Introduzione all’oscuro, de Gastón Solnicki (Argentina/Áustria)
The Load, de Ognjen Glavonić (Sérvia/França/Croácia/Irã/Qatar)
Long Day’s Journey Into Night, de Bi Gan (China/França)
The Man Who Surprised Everyone, de Natasha Merkulova e Aleksey Chupov (Rússia/Estônia/França)
Manta Ray, de Phuttiphong Aroonpheng (Tailândia/França/China)
La miséricorde de la jungle, de Joel Karekezi (Bélgica/França)
The Proposal, de Jill Magid (EUA)
Sophia Antipolis, de Virgil Vernier (França)
Tarde para morir joven, de Dominga Sotomayor (Chile/Brasil/Argentina/Holanda/Qatar)
Der Unschuldige, de Simon Jaquemet (Suíça/Alemanha)
Winter’s Night, de Jang Woojin (Coreia do Sul)
You Have the Night, de Ivan Salatić (Montenegro/Sérvia/Qatar)

Fotos: Divulgação.

Documentário Sou Carnaval de São Salvador, narrado por João Miguel, ganha trailer

por: Cinevitor

ivetedoccarnavalsalvadorBaianidade Nagô: Ivete Sangalo no trio elétrico, em 2015.

A contagem regressiva para o Carnaval já começou e o filme Sou Carnaval de São Salvador, escrito e dirigido por Marcio Cavalcante, chega aos cinemas no dia 24 de janeiro com gostinho antecipado da folia.

Embalado ao som da guitarra elétrica, o trailer, que acaba de ser divulgado, mescla depoimentos dos foliões com belas tomadas de Salvador, que atrai milhares de turistas todos os anos, e é apresentada por vários ângulos, durante o Carnaval mais famoso do planeta.

Como um palco, as ruas de Salvador reúnem uma manifestação popular plural, rica e única. A produção retrata a história da festa baiana, transitando pela música, cultura, povo e dança, para tentar entender o porquê de tanta loucura.

Com filmagens realizadas entre 2014 e 2018, e mais de 500 entrevistas, o projeto retrata todos aqueles foliões do Carnaval de corpo e alma. O título do filme, inclusive, remete a identificação pessoal; o Sou na primeira pessoa transforma a festa numa entidade viva, com a voz do premiado ator baiano João Miguel.

Confira o trailer de Sou Carnaval de São Salvador:

Foto: Daniel Delmiro e JC Pereira/AgNews.

A Favorita, de Yorgos Lanthimos, lidera indicações ao BAFTA 2019, o Oscar britânico

por: Cinevitor

afavoritabafta2019indicadosRachel Weisz e Olivia Colman em A Favorita: indicadas.

A Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão, British Academy of Film and Television Arts, anunciou nesta quarta-feira, 09/01, em Londres, os indicados ao BAFTA 2019, British Academy Film Awards, que foram revelados pelos atores Will Poulter e Hayley Squires.

Neste ano, em sua 72ª edição, a comédia dramática A Favorita, de Yorgos Lanthimos, lidera a lista com doze indicações. Bohemian Rhapsody, O Primeiro Homem, Roma e Nasce uma Estrela aparecem na sequência com sete indicações cada.

Além disso, os produtores Stephen Woolley e Elizabeth Karlsen, fundadores da Number 9 Films, produtora de filmes independentes, serão homenageados com o prêmio de melhor contribuição britânica para o Cinema (Outstanding British Contribution to Cinema Award).

A cerimônia de premiação do Oscar britânico acontecerá no dia 10 de fevereiro, no Royal Albert Hall, em Londres, e será apresentada, pela segunda vez, pela atriz Joanna Lumley

Confira a lista completa com os indicados ao BAFTA 2019:

MELHOR FILME:
A Favorita
Green Book: O Guia
Infiltrado na Klan
Nasce uma Estrela
Roma

MELHOR FILME BRITÂNICO:
A Favorita
Beast
Bohemian Rhapsody
McQueen
Stan & Ollie
Você Nunca Esteve Realmente Aqui

MELHOR DIREÇÃO:
Alfonso Cuarón, por Roma
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela
Paweł Pawlikowski, por Guerra Fria
Spike Lee, por Infiltrado na Klan
Yorgos Lanthimos, por A Favorita

MELHOR ATOR:
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela
Christian Bale, por Vice
Rami Malek, por Bohemian Rhapsody
Steve Coogan, por Stan & Ollie
Viggo Mortensen, por Green Book: O Guia

MELHOR ATRIZ:
Glenn Close, por A Esposa
Lady Gaga, por Nasce uma Estrela
Melissa McCarthy, por Poderia Me Perdoar?
Olivia Colman, por A Favorita
Viola Davis, por As Viúvas

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Adam Driver, por Infiltrado na Klan
Mahershala Ali, por Green Book: O Guia
Richard E. Grant, por Poderia Me Perdoar?
Sam Rockwell, por Vice
Timothée Chalamet, por Querido Menino

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Amy Adams, por Vice
Claire Foy, por O Primeiro Homem
Emma Stone, por A Favorita
Margot Robbie, por Duas Rainhas
Rachel Weisz, por A Favorita

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:
A Favorita, escrito por Deborah Davis e Tony McNamara
Green Book: O Guia, escrito por Nick Vallelonga, Brian Hayes Currie e Peter Farrelly
Guerra Fria, escrito por Pawel Pawlikowski e Janusz Glowacki
Roma, escrito por Alfonso Cuarón
Vice, escrito por Adam McKay

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:
Infiltrado na Klan, escrito por Charlie Wachtel, David Rabinowitz, Kevin Willmott e Spike Lee
Nasce uma Estrela, escrito por Eric Roth, Bradley Cooper e Will Fetters
O Primeiro Homem, escrito por Josh Singer
Poderia Me Perdoar?, escrito por Nicole Holofcener e Jeff Whitty
Se a Rua Beale Falasse, escrito por Barry Jenkins

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:
Assunto de Família, de Hirokazu Kore-eda (Japão)
Cafarnaum, de Nadine Labaki (Líbano)
Dogman, de Matteo Garrone (Itália)
Guerra Fria, de Paweł Pawlikowski (Polônia)
Roma, de Alfonso Cuarón (México)

MELHOR DOCUMENTÁRIO:
Free Solo, de Elizabeth Chai Vasarhelyi e Jimmy Chin
McQueen, de Ian Bonhôte e Peter Ettedgui
RBG, de Julie Cohen e Betsy West
They Shall Not Grow Old, de Peter Jackson
Três Estranhos Idênticos, de Tim Wardle

MELHOR ANIMAÇÃO:
Homem-Aranha no Aranhaverso, de Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman
Ilha dos Cachorros, de Wes Anderson
Os Incríveis 2, de Brad Bird

MELHOR FOTOGRAFIA:
A Favorita, por Robbie Ryan
Bohemian Rhapsody, por Newton Thomas Sigel
Guerra Fria, por Łukasz Żal
O Primeiro Homem, por Linus Sandgren
Roma, por Alfonso Cuarón

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL:
Ilha dos Cachorros, por Alexandre Desplat
Infiltrado na Klan, por Terence Blanchard
Nasce uma Estrela, por Bradley Cooper, Lady Gaga e Lukas Nelson
O Retorno de Mary Poppins, por Marc Shaiman
Se a Rua Beale Falasse, por Nicholas Britell

MELHOR EDIÇÃO:
A Favorita, por Yorgos Mavropsaridis
Bohemian Rhapsody, por John Ottman
O Primeiro Homem, por Tom Cross
Roma, por Alfonso Cuarón e Adam Gough
Vice, por Hank Corwin

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO:
A Favorita, por Fiona Crombie e Alice Felton
Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, por Stuart Craig e Anna Pinnock
O Primeiro Homem, por Nathan Crowley e Kathy Lucas
O Retorno de Mary Poppins, por John Myhre e Gordon Sim
Roma, por Eugenio Caballero e Bárbara Enríquez

MELHOR FIGURINO:
A Balada de Buster Scruggs, por Mary Zophres
A Favorita, por Sandy Powell
Bohemian Rhapsody, por Julian Day
Duas Rainhas, por Alexandra Byrne
O Retorno de Mary Poppins, por Sandy Powell

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO:
A Favorita, por Nadia Stacey
Bohemian Rhapsody, por Mark Coulier e Jan Sewell
Duas Rainhas, por Jenny Shircore
Stan & Ollie, por Mark Coulier e Jeremy Woodhead
Vice, por Kate Biscoe, Greg Cannom, Patricia DeHaney e Chris Gallaher 

MELHOR SOM:
Bohemian Rhapsody, por John Casali, Tim Cavagin, Nina Hartstone, Paul Massey e John Warhurst
Missão: Impossível – Efeito Fallout, por Gilbert Lake, James H. Mather, Christopher Munro e Mike Prestwood Smith
Nasce uma Estrela, por Steve Morrow, Alan Robert Murray, Jason Ruder, Tom Ozanich e Dean Zupancic
O Primeiro Homem, por Mary H. Ellis, Mildred Iatrou Morgan, Ai-Ling Lee, Frank A. Montaño e Jon Taylor
Um Lugar Silencioso, por Erik Aadahl, Michael Barosky, Brandon Procter e Ethan Van der Ryn

MELHORES EFEITOS VISUAIS:
Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, por Tim Burke, Andy Kind, Christian Manz e David Watkins
Jogador N°1, por Matthew E. Butler, Grady Cofer, Roger Guyett e David Shirk
O Primeiro Homem, por Ian Hunter, Paul Lambert, Tristan Myles e J.D. Schwalm
Pantera Negra, por Geoffrey Baumann, Jesse James Chisholm, Craig Hammack e Dan Sudick
Vingadores: Guerra Infinita, por Dan DeLeeuw, Russell Earl, Kelly Port e Dan Sudick

MELHOR ATOR/ATRIZ EM ASCENSÃO | VOTO POPULAR:
Barry Keoghan
Cynthia Erivo
Jessie Buckley
Lakeith Stanfield
Letitia Wright

ROTEIRISTA, DIRETOR(A) OU PRODUTOR(A) BRITÂNICO REVELAÇÃO:
Chris Kelly (diretor, roteirista e produtor), por A Cambodian Spring
Daniel Kokotajlo (diretor e roteirista), por Apostasy
Leanne Welham (diretora e roteirista) e Sophie Harman (produtora), por Pili
Michael Pearce (diretor e roteirista) e Lauren Dark (produtora), por Beast
Richard Billingham (diretor e roteirista) e Jacqui Davies (produtora), por Ray & Liz

MELHOR CURTA-METRAGEM BRITÂNICO:
73 Cows
Bachelor, 38
The Blue Door
The Field
Wale

MELHOR CURTA-METRAGEM BRITÂNICO | ANIMAÇÃO:
I’m Ok
Marfa
Roughhouse

Foto: Divulgação/Fox Searchlight.

Conheça os vencedores do 10º Dorian Awards, prêmio organizado pela Associação de Críticos LGBTQ

por: Cinevitor

afavoritagalecaOlivia Colman e Rachel Weisz em A Favorita: três prêmios.

A GALECA (Gay and Lesbian Entertainment Critics Association), Associação Gay e Lésbica de Críticos de Entretenimento, anunciou nesta terça-feira, 08/01, os vencedores do Dorian Awards, prêmio que elege os melhores do ano na TV e no cinema; o nome é em homenagem ao escritor Oscar Wilde em referência ao seu romance O Retrato de Dorian Gray.

Com mais de 220 jornalistas e críticos de veículos importantes dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, muitos integrantes da Associação, fundada em 2009, se identificam como membros da comunidade LGBTQ, seja lésbica, gay, bissexual, transgênero ou queer, mas diversos jornalistas simpatizantes também fazem parte.

Neste ano, a comédia dramática A Favorita, de Yorgos Lanthimos, se consagrou como a grande vencedora desta 10ª edição, premiada em três categorias, entre elas, a de filme do ano. A cerimônia de premiação está marcada para o dia 12 de janeiro, em Hollywood, e será apresentada por Frank DeCaro, conhecido apresentador e escritor americano.

Conheça os vencedores do Dorian Awards 2018/2019 nas categorias de cinema:

FILME DO ANO:
A Favorita, de Yorgos Lanthimos

FILME LGBTQ DO ANO:
Poderia Me Perdoar?, de Marielle Heller

MELHOR DIREÇÃO:
Alfonso Cuarón, por Roma

ATRIZ DO ANO:
Olivia Colman, por A Favorita

ATOR DO ANO:
Ethan Hawke, por First Reformed

ATRIZ COADJUVANTE DO ANO:
Regina King, por Se a Rua Beale Falasse

ATOR COADJUVANTE DO ANO:
Richard E. Grant, por Poderia Me Perdoar?

FILME ESTRANGEIRO DO ANO:
Roma, de Alfonso Cuarón (México)

ROTEIRO DO ANO | ORIGINAL OU ADAPTADO:
A Favorita, escrito por Deborah Davis e Tony McNamara

DOCUMENTÁRIO DO ANO:
Won’t You Be My Neighbor?, de Morgan Neville

DOCUMENTÁRIO LGBTQ DO ANO:
McQueen, de Ian Bonhôte e Peter Ettedgui

FILME VISUALMENTE IMPRESSIONANTE DO ANO:
Aniquilação, de Alex Garland

FILME NÃO CELEBRADO DO ANO:
As Viúvas, de Steve McQueen

FILME CAMPY FLICK DO ANO:
Um Pequeno Favor, de Paul Feig

REVELAÇÃO DO ANO | “We’re Wilde About You!”:
Awkwafina

WILDE WIT OF THE YEAR (homenagem a um artista, roteirista ou comentarista cujas observações desafiam e divertem):
Hannah Gadsby

WILDE ARTIST OF THE YEAR (honra uma força verdadeiramente inovadora no cinema, teatro ou TV):
Ryan Murphy

TIMELESS STAR (homenagem a um ator ou atriz cuja carreira exemplar é marcada pelo caráter, sabedoria e sagacidade):
Harvey Fierstein

Foto: Atsushi Nishijima.

Com Chay Suede, Minha Fama de Mau, cinebiografia de Erasmo Carlos, ganha trailer

por: Cinevitor

chayerasmotrailerPode vir quente que eu estou fervendo!

A cinebiografia Minha Fama de Mau, dirigida por Lui Farias, estreia nos cinemas no dia 14 de fevereiro e conta com Chay Suede no papel de Erasmo Carlos. O longa narra a trajetória do cantor e compositor que se destacou no cenário musical na década de 1960 e despontou na carreira com a Jovem Guarda. O filme aborda também a amizade do Tremendão com Roberto Carlos e Wanderléa, a Ternurinha, interpretados por Gabriel Leone e Malu Rodrigues.

O trailer, que acaba de ser divulgado, traz um recorte que vai da juventude de Erasmo, na Tijuca, onde conheceu Tim Maia, papel de Vinicius Alexandre, e onde formou o grupo The Snakes, até o fim da década de 1970, quando atingiu o auge do sucesso na Jovem Guarda, ao lado de Roberto e Wanderléa. O vídeo mostra também a fase no rádio, além da grande amizade com Roberto Carlos, com quem dividiu composições que marcaram gerações.

Bruno De Luca, que interpreta Carlos Imperial, e Bianca Comparato, que interpreta as várias mulheres que passaram pela vida de Erasmo, inclusive, Narinha, sua esposa, integram o elenco. Isabela Garcia e Paula Toller fazem participações especiais.

Confira o trailer de Minha Fama de Mau:

Foto: Paprica Fotografia.

71º DGA Awards: conheça os indicados ao prêmio do Sindicato dos Diretores

por: Cinevitor

bradleyindicadodgaBradley Cooper nos bastidores de Nasce uma Estrela: protagonista e diretor.

Foi divulgada nesta terça-feira, 8/01, a lista completa com os indicados ao 71º DGA Awards, prêmio organizado pelo Sindicato dos Diretores da América (Directors Guild of America), que elege os melhores diretores da TV e do cinema desde 1948.

Nos últimos cinco anos, os vencedores do DGA Awards também foram premiados no Oscar, entre eles, três mexicanos: Guillermo del Toro, por A Forma da Água; Damien Chazelle, por La La Land: Cantando Estações; Alejandro G. Iñárritu, por O Regresso e Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância); e Alfonso Cuarón, por Gravidade. Os vencedores do DGA Awards 2018 serão anunciados no dia 2 de fevereiro, em Hollywood.

Conheça os indicados ao 71º Directors Guild of America Awards nas categorias de cinema:

MELHOR DIREÇÃO | LONGA-METRAGEM:
Adam McKay, por Vice
Alfonso Cuarón, por Roma
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela
Peter Farrelly, por Green Book: O Guia
Spike Lee, por Infiltrado na Klan

MELHOR DIREÇÃO ESTREANTE | LONGA-METRAGEM:
Bo Burnham, por Oitava Série
Boots Riley, por Sorry to Bother You
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela
Carlos López Estrada, por Ponto Cego
Matthew Heineman, por A Private War

MELHOR DIREÇÃO | DOCUMENTÁRIO:
Jimmy Chin e Elizabeth Chai Vasarhelyi, por Free Solo
Julie Cohen e Betsy West, por RBG
Morgan Neville, por Won’t You Be My Neighbor?
RaMell Ross, por Hale County This Morning, This Evening
Tim Wardle, por Três Estranhos Idênticos

Foto: Clay Enos.

Cinema Audio Society anuncia os indicados ao 55º CAS Awards

por: Cinevitor

primeirohomemindicadocasRyan Gosling em O Primeiro Homem, de Damien Chazelle.

A Cinema Audio Society é uma organização filantrópica e sem fins lucrativos, que foi fundada em 1964 com o objetivo de compartilhar informações entre os profissionais de som da TV e do cinema. Como de costume, todos os anos realiza uma premiação para eleger a melhor mixagem de som em produções televisivas e cinematográficas.

Ao longo dos anos, filmes vencedores do CAS Awards também foram premiados no Oscar, como: Gravidade, Os Miseráveis e A Invenção de Hugo Cabret. No ano passado, Dunkirk e Viva – A Vida é uma Festa foram os grandes campeões.

Em sua 55ª edição, os homenageados serão: o cineasta Steven Spielberg, que receberá o CAS Filmmaker Award; e o sonoplasta Lee Orloff, vencedor do Oscar de melhor mixagem de som por Piratas do Caribe: O Baú da Morte, que será homenageado com o CAS Career Achievement Award.

Os vencedores do Cinema Audio Society Awards 2018 serão anunciados no dia 16 de fevereiro, em Los Angeles.

Conheça os indicados ao 55º CAS Awards nas categorias de cinema:

MELHOR MIXAGEM DE SOM | LONGA-METRAGEM:
Bohemian Rhapsody
Nasce uma Estrela
O Primeiro Homem
Pantera Negra
Um Lugar Silencioso

MELHOR MIXAGEM DE SOM | ANIMAÇÃO:
Homem-Aranha no Aranhaverso
Ilha dos Cachorros
O Grinch
Os Incríveis 2
WiFi Ralph: Quebrando a Internet

MELHOR MIXAGEM DE SOM | DOCUMENTÁRIO:
Fahrenheit 11/9
Free Solo
Quincy
Serei Amado Quando Morrer
Won’t You Be My Neighbor?

Foto: Daniel McFadden.

WGA Awards 2019: conheça os indicados ao prêmio do Sindicato dos Roteiristas

por: Cinevitor

lugarsilenciosowgaindicadoJohn Krasinski, Emily Blunt, Noah Jupe e Millicent Simmonds em Um Lugar Silencioso.

O Sindicato dos Roteiristas da América (Writers Guild of America) divulgou nesta segunda-feira, 07/01, os indicados ao Writers Guild Awards 2019, premiação anual que elege os melhores roteiros de cinema, TV e rádio desde 1948.

Na última edição, Corra! e Me Chame Pelo Seu Nome foram premiados no WGA Awards e também no Oscar. Em outros anos, diversos filmes também foram consagrados pelo Sindicato e pela Academia, como: Spotlight: Segredos Revelados, Os Descendentes, O Segredo de Brokeback MountainLos Angeles: Cidade ProibidaRazão e SensibilidadeO Leão no InvernoA Volta ao Mundo em 80 Dias, A MalvadaCrepúsculo dos Deuses, entre outros.

Os vencedores serão anunciados no dia 17 de fevereiro em cerimônia apresentada pela atriz, comediante e roteirista Chelsea Peretti.

Conheça os indicados ao WGA Awards 2019 nas categorias de cinema:

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:
Green Book: O Guia, escrito por Nick Vallelonga, Brian Currie e Peter Farrelly
Oitava Série, escrito por Bo Burnham
Roma, escrito por Alfonso Cuarón
Um Lugar Silencioso, escrito por Bryan Woods, Scott Beck e John Krasinski
Vice, escrito por Adam McKay

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:
Infiltrado na Klan, escrito por Charlie Wachtel, David Rabinowitz, Kevin Willmott e Spike Lee; baseado no livro de Ron Stallworth
Nasce uma Estrela, escrito por Eric Roth, Bradley Cooper e Will Fetters; remake baseado nos roteiros de Moss Hart (1954) e John Gregory Dunne, Joan Didion e Frank Pierson (1976); baseados na história de William Wellman e Robert Carson
Pantera Negra, escrito por Ryan Coogler e Joe Robert Cole; baseado em Marvel Comics, de Stan Lee e Jack Kirby
Poderia Me Perdoar?, escrito por Nicole Holofcener e Jeff Whitty; baseado no livro de Lee Israel
Se a Rua Beale Falasse, escrito por Barry Jenkins; baseado no livro de James Baldwin

MELHOR ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO:
Bathtubs Over Broadway, escrito por Ozzy Inguanzo e Dava Whisenant
Fahrenheit 11/9, escrito por Michael Moore
Generation Wealth, escrito por Lauren Greenfield
In Search of Greatness, escrito por Gabe Polsky

Foto: Jonny Cournoyer/Paramount Pictures.