Festival do Rio 2018: conheça os filmes brasileiros selecionados

por: Cinevitor

sombradopairio2018Julio Machado em A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida: selecionado.

O Festival do Rio 2018, que acontecerá entre os dias 1 e 11 de novembro, apresentará 84 produções brasileiras dos mais variados temas, de diferentes pontos do país e distribuídos por diversas mostras: 64 longas, incluindo coproduções, e 20 curtas, que serão exibidos em sessões de gala abertas ao público. O filme de encerramento desta 20ª edição será O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues.

Na Première Brasil, uma das mostras mais aguardadas e concorridas do Festival do Rio, serão exibidas produções (48 longas e 20 curtas) de diretores estreantes e consagrados. O público, através do voto popular, escolhe os vencedores do Troféu Redentor nas categorias de melhor filme de ficção, documentário e curta, e um júri oficial elege as demais categorias.

A mostra competitiva Novos Rumos, que se consolida como o espaço de diversas linguagens cinematográficas e novos diretores, vai exibir 7 longas e 7 curtas em sua seleção. A Mostra Retratos vai apresentar 11 longas, com recortes que registram de maneira singular personalidades e temas/assuntos relevantes na história do país.

O Festival do Rio também apresentará quatro grandes clássicos restaurados; filmes que mudaram, de forma incontestável, a percepção do cinema brasileiro no mundo inteiro: Central do Brasil, Pixote: A Lei do Mais Fraco, Rio 40 Graus e Rio Zona Norte.

Conheça os filmes brasileiros selecionados para o Festival do Rio 2018:

PREMIÈRE BRASIL | FICÇÃO:

A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida (SP)
A Terra Negra dos Kawa, de Sérgio Andrade (AM)
Azougue Nazaré, de Tiago Melo (PE)
Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos, de João Salaviza e Renée Nader Messora (MG)
Deslembro, de Flavia Castro (RJ)
Domingo, de Clara Linhart e Fellipe Barbosa (RJ)
Morto Não Fala, de Dennison Ramalho (RS)
Nóis por Nóis, de Aly Muritiba e Jandir Santin (PR)
Tinta Bruta, de Marcio Reolon e Filipe Matzembacher (RS)

PREMIÈRE BRASIL | DOCUMENTÁRIO:

Clementina, de Ana Rieper (RJ)
Eleições, de Ana Riff (SP)
Gilda Brasileiro – Contra O Esquecimento, de Roberto Manhães Reis e Viola Scheuerer (ES)
Meu Nome é Daniel, de Daniel Gonçalves (RJ)
Relatos do Front, de Renato Martins (RJ)
Torre das Donzelas, de Susanna Lira (RJ)

COMPETIÇÃO NOVOS RUMOS:

El Último País, de Gretel Marín Palacio (GO)
Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA)
Inferninho, de Pedro Diogenes e Guto Parente (CE)
Luna, de Cris Azzi (MG)
Mormaço, de Marina Meliande (RJ)
Para’i, de Vinicius Toro (SP)
Sócrates, de Alex Moratto (SP)

MOSTRA COMPETITIVA | CURTAS-METRAGENS:

A Retirada para um Coração Bruto, de Marco Antônio Pereira (MG)
À Tona, de Daniella Cronemberger (DF)
Antes que o Tempo me Esqueça, de Leo Goodgod e Paulo Rodrigues (MG)
Boi, de Lucas Bettim e Renan Carvalho (SP)
Gopi, de Viviane D’Avilla e Paulo Dimantas (RJ)
Mais Triste que Chuva num Recreio de Colégio, de Lobo Mauro (RJ)
Nomes que Importam, de Muriel Alves e Angela Donini (RJ)
O Órfão, de Carolina Markowicz (SP)
Preciso Dizer que te Amo, de Ariel Nobre (SP)
Princesa Morta do Jacuí, de Marcela Ilha Bordin (RS)
Universo Preto Paralelo, de Rubens Passaro (SP)
Você não me Conhece, de Rodrigo Séllos (RJ)

COMPETIÇÃO NOVOS RUMOS | CURTAS-METRAGENS:

Cadelas, de Rita Toledo (RJ)
Cascudos, de Igor Barradas (RJ)
Invasão Drag, de Rafael Ribeiro (RJ)
Jéssika, de Galba Gogóia (RJ)
Lembra, de Leonardo Martinelli (RJ)
Sempre Verei Cores no seu Cinza, de Anabela Roque (RJ)
Vigia, de João Victor Borges (RJ)

PREMIÈRE BRASIL | HORS CONCOURS | FICÇÃO:

Aconteceu na Quarta-Feira, de Domingos Oliveira (RJ)
Cine Holliudy 2 – A Chibata Sideral, de Halder Gomes (CE)
Correndo Atrás, de Jeferson De (RJ)
Diamantino, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt (RJ/Portugal/França)
Intimidade Entre Estranhos, de José Alvarenja Jr. (RJ)
Los Silencios, de Beatriz Seigner (SP/França/Colômbia)
Rasga Coração, de Jorge Furtado (RS)
Sequestro Relâmpago, de Tata Amaral (SP)
Simonal, de Leandro Domingues (RJ)
Sueño Florianópolis, de Ana Katz (SP)
Uma Noite Não É Nada, de Alain Fresnot (SP)

PREMIÈRE BRASIL | HORS CONCOURS | DOCUMENTÁRIO:

Amazônia, o Despertar da Florestania, de Christiane Torloni e Miguel Przewodowski (RJ)
Excelentíssimos, de Douglas Duarte (RJ)
Humberto Mauro, de André Di Mauro (RJ)
THF: Aeroporto Central (Central Airport THF), de Karim Ainouz (SP/Alemanha/França)
Curta:
O Mundo é Redondo Para Ninguém se Esconder Nos Cantos – Parte I: Refúgio, de Leandro Goddinho

PREMIÈRE BRASIL | RETRATOS:

A Turma do Pererê.DOC, de Ricardo Favilla (RJ)
Angel Viana – Voando Com os Pés no Chão, de Cristina Leal (RJ)
Carvana, de Lulu Corrêa (RJ)
Filme Ensaio, de Maria Flor (RJ)
Marcia Haydée, de Daniela Kallmann (RJ)
Meu Samba É Meu Dom, de Cristiano Abud (MG)
Paulo Casé, de Paula Fiuza (RJ)
Rindo à Toa: Humor sem limites, de Cláudio Manoel, Alvaro Campos e Alê Braga (RJ)
Tá Rindo de Quê?, de Cláudio Manoel, Alvaro Campos e Alê Braga (RJ)
Rogéria, Senhor Astolfo Barroso Pinto, de Pedro Gui (RJ)
Zuza Homem de Jazz, de Janaina Dalri (RJ)

PREMIÈRE LATINA:

Família Submersa (Familia Sumergida), de María Alché (Argentina/Brasil/Alemanha/Noruega)
Happy Hour, de Eduardo Albergaria (Brasil/Argentina)
La Cama, de Mónica Lairana (Brasil/Argentina/Holanda/Alemanha)
Rojo, de Benjamin Naishtat (Argentina/Brasil/França/Alemanha/Holanda)
Tarde Para Morir Joven, de Dominga Sotomayor (Chile/Brasil/Argentina/Holanda/Qatar)

EXPECTATIVA:

Palace II – 3 Quartos com Vista para o Mar, de Rafael Machado e Gabriel Corrêa e Castro (RJ)
Pedro e Inês, de António Ferreira (Portugal/Brasil/França)

PANORAMA:

Cano Serrado, de Erik de Castro (RJ)
O Olho e a Faca, de Paulo Sacramento (SP)

MIDNIGHT:

Personas Humanas (Humanpersons), de Frank Spano (Panamá/Brasil/Espanha)

MIDNIGHT DOCS:

Amazônia Groove, de Bruno Murtinho (RJ)
The Cleaners, de Hans Block e Moritz Riesewieck (Alemanha/Brasil)

CLÁSSICOS E CULTS:

Central do Brasil, de Walter Salles (1998)
Pixote: A Lei do Mais Fraco, de Hector Babenco (1981)
Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos (1955)
Rio Zona Norte, de Nelson Pereira dos Santos (1957)

FILME  DE ENCERRAMENTO:

O Grande Circo Místico, de Carlos Diegues

Foto: Divulgação.

Comentários