Los Lobos

por: Cinevitor

loslobosposter2Direção: Samuel Kishi

Elenco: Martha Reyes Arias, Maximiliano Nájar Márquez, Leonardo Nájar Márquez, Cici Lau, Johnson T. Lau, Kevin Medina, Josiah Grado, Marvin Ramírez, Alejandro Banteah, Edwin Ramírez, Aylin Payen, Shacty Díaz, María Teresa Herrera, Amy Puente, Christina Gopal, Jeanette M. Loera, Celine R. Lopez, Robert Louder.

Ano: 2019

Sinopse: Max, Leo e a mãe Lúcia acabam de cruzar a fronteira do México para os Estados Unidos em busca de uma vida melhor. Sozinhos em casa, os meninos constroem um universo imaginário e pensam na promessa de sua mãe de ir à Disney, a terra dos sonhos.

Crítica: Dirigido pelo mexicano Samuel Kishi, o drama Los Lobos rodou diversos festivais e foi premiado em Berlim, Havana e Miami. A afetuosa história sobre uma mãe que decide mudar de vida e cruza a fronteira do México para ir morar nos Estados Unidos ao lado dos dois filhos pequenos é realmente comovente e cativante. E isso se dá por diversos motivos, a começar pelas atuações: Martha Reyes Arias interpreta uma matriarca protetora, que carrega um olhar pesaroso quase sem esperança, porém resistente; os meninos Maximiliano Nájar Márquez e Leonardo Nájar Márquez brilham em cena com entrosamento de sobra; e há também destaque para a atriz Cici Lau, que interpreta uma vizinha amigável, que constrói aos poucos uma relação de carinho com a família. Em certos momentos, é inevitável uma comparação ao americano Projeto Flórida, de Sean Baker, ou até mesmo ao italiano A Vida é Bela, de Roberto Benigni, nesse caso, na questão de proteger um ente querido das barbáries externas, porém, Los Lobos consegue trilhar seu caminho próprio ao construir uma narrativa latino-americana com veracidade. Há tanto carinho entre esses personagens que até momentos clichês, que derrapariam a história, conseguem manter a emoção e comover. Os diálogos são bem construídos e interpretados com naturalidade; e ao longo dos 95 minutos de projeção, acompanhamos o crescimento destes personagens e a descoberta de um mundo novo. Uns sonham em ir para a Disney, algo que talvez nunca aconteça, mas ainda assim se fortalecem nesse objetivo para seguir a vida com entusiasmo; outros buscam qualquer oportunidade de sobrevivência para ter o que comer no dia seguinte. A beleza de Los Lobos está na combinação entre melancolia e esperança; na realidade com o lúdico; e também na fantasia com a ingenuidade. Além do amor que transborda na tela. (Vitor Búrigo)

*Filme visto no 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba.

Nota do CINEVITOR:

nota-4-estrelas

Comentários