Notícias

Fique por dentro de tudo o que acontece no universo do cinema!

Festival de Sundance 2019: conheça os vencedores

por: Cinevitor

sundancevence2019Rhianne Barreto, em Share: prêmio de melhor atuação.

Foram anunciados neste sábado, 02/02, em Park City, Utah, nos Estados Unidos, os vencedores do Festival Sundance de Cinema 2019, conhecido por destacar produções independentes em sua programação. A cerimônia foi apresentada pela atriz, roteirista e diretora Marianna Palka e os premiados nas categorias de curtas-metragens foram revelados em um evento à parte, realizado na quarta-feira, 30/01.

O júri da Competição Americana (U.S. Dramatic) contou com: Desiree Akhavan, diretora de O Mau Exemplo de Cameron Post, grande vencedor de Sundance no ano passado; o cineasta Damien Chazelle; Dennis Lim, da Film Society of Lincoln Center; Phyllis Nagy, roteirista e diretora; e a atriz americana Tessa Thompson. Na Competição Internacional (World Cinema Dramatic), o time de jurados foi formado por: Jane Campion, cineasta neozelandesa; Charles Gillibert, produtor francês; e Ciro Guerra, cineasta colombiano.

Nas categorias de documentário, o júri da Competição Americana (U.S. Documentary) contou com: Lucien Castaing-Taylor, antropólogo e cineasta; Yance Ford, documentarista; Rachel Grady, cineasta e produtora; Jeff Orlowski, cineasta americano; e Alissa Wilkinson, crítica e jornalista. Na Competição Internacional, o time foi formado por: Maite Alberdi, cineasta chilena; Nico Marzano, curador e fundador da Frames of Representation (FoR); e Véréna Paravel, antropóloga e artista francesa.

Neste ano, o cinema brasileiro marcou presença na Competição Internacional com dois filmes: Divino Amor, de Gabriel Mascaro, entre os longas de ficção; e o documentário Democracia em Vertigem, de Petra Costa. Na mostra Kids, Abe, de Fernando Grostein Andrade, com Noah Schnapp e Seu Jorge, foi um dos destaques. Além disso, a cineasta brasileira Ivete Lucas, que hoje vive nos Estados Unidos, apareceu na Competição Americana de Documentários com Pahokee, dirigido em parceria com Patrick Bresnan.

Confira a lista completa com os vencedores do Festival de Sundance 2019:

COMPETIÇÃO AMERICANA | DRAMA

Grande Prêmio do Júri: Clemency, de Chinonye Chukwu
Melhor Direção: Joe Talbot, por The Last Black Man in San Francisco
Prêmio Waldo Salt | Melhor Roteiro: Share, escrito por Pippa Bianco
Prêmio Especial do Júri | Creative Collaboration: The Last Black Man in San Francisco, de Joe Talbot
Prêmio Especial do Júri | Vision and Craft: Honey Boy, de Alma Har’el
Prêmio Especial do Júri | Melhor Atuação: Rhianne Barreto, por Share
Prêmio do Público: Brittany Runs A Marathon, de Paul Downs Colaizzo

COMPETIÇÃO AMERICANA | DOCUMENTÁRIO

Grande Prêmio do Júri: One Child Nation, de Nanfu Wang e Jialing Zhang
Melhor Direção: Steven Bognar e Julia Reichert, por American Factory
Prêmio Especial do Júri | Diretor (a) Revelação: Liza Mandelup, por Jawline
Prêmio Especial do Júri | Moral Urgency: Always in Season, de Jacqueline Olive
Prêmio Especial do Júri | Fotografia: Midnight Family, por Luke Lorentzen
Prêmio Especial do Júri | Edição: APOLLO 11, por Todd Douglas Miller
Prêmio do Público: Knock Down the House, de Rachel Lears

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL | DRAMA

Grande Prêmio do Júri: The Souvenir, de Joanna Hogg (Reino Unido)
Melhor Direção: Lucía Garibaldi, por The Sharks
Prêmio Especial do Júri: Monos, de Alejandro Landes (Colômbia/Argentina/Holanda/Alemanha/Suécia/Uruguai)
Prêmio Especial do Júri | Originalidade: We Are Little Zombies, de Makoto Nagahisa (Japão)
Prêmio Especial do Júri | Atuação: Krystyna Janda, por Dolce Fine Giornata
Prêmio do Público: Queen of Hearts, de May el-Toukhy (Dinamarca)

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL | DOCUMENTÁRIO

Grande Prêmio do Júri: Honeyland, de Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska (Macedônia)
Melhor Direção: Mads Brügger, por Cold Case Hammarskjold
Prêmio Especial do Júri: Midnight Traveler, de Hassan Fazili (EUA/Qatar/Reino Unido/Canadá)
Prêmio Especial do Júri | Fotografia: Honeyland, por Fejmi Daut and Samir Ljuma
Prêmio Especial do Júri | Impact for Change: Honeyland, de Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska
Prêmio do Público: Sea of Shadows, de Richard Ladkani (Áustria)

CURTAS-METRAGENS

Grande Prêmio do Júri: Aziza, de Soudade Kaadan (Síria/Líbano)
Prêmio do Júri | Ficção | Competição Americana: Green, de Suzanne Andrews Correa
Prêmio do Júri | Ficção | Competição Internacional: Dunya’s Day, de Raed Alsemari (Arábia Saudita/EUA)
Prêmio do Júri | Não ficção: Ghosts of Sugar Land, de Bassam Tariq (EUA)
Prêmio do Júri | Animação: Reneepoptosis, de Renee Zhan (EUA/Japão)
Prêmio Especial do Júri | Direção: Alexandra Lazarowich, por Fast Horse (Canadá) e Robert Machoian, por The MINORS (EUA)

OUTROS PRÊMIOS

PRÊMIO DO PÚBLICO | NEXT: The Infiltrators, de Alex Rivera e Cristina Ibarra (EUA)
NHK AWARD: Planet Korsakov, de Taro Aoshima (Japão)
NEXT Innovator Award: The Infiltrators, de Alex Rivera e Cristina Ibarra
PRÊMIO ALFRED P. SLOAN: The Boy Who Harnessed the Wind, de Chiwetel Ejiofor
AMAZON STUDIOS PRODUCERS AWARDS | DOCUMENTÁRIO: Lori Cheatle
AMAZON STUDIOS PRODUCERS AWARDS | FICÇÃO: Carly Hugo e Matt Parker, por Share

Foto: Josh Johnson.

Conheça os vencedores do Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2019

por: Cinevitor

roterdavencedores19Shengze Zhu recebe o prêmio de melhor filme ao lado do produtor Zhengfang Yang.

Foram anunciados nesta sexta-feira, 01/02, os vencedores da 48ª edição do Festival Internacional de Cinema de Roterdã (IFFR, International Film Festival Rotterdam), considerado um dos maiores do mundo e que destaca talentos cinematográficos dirigidos por novos cineastas.

Neste ano, o cinema brasileiro estava representado com diversos filmes e duas coproduções foram premiadas: o chileno Historia de mi nombre, de Karin Cuyul, recebeu Menção Especial do júri da mostra Bright Future, que destaca uma seleção de descobertas para o futuro e exibe talentos emergentes com temáticas originais e estilos individuais; e Tarde para morir joven, de Dominga Sotomayor, coprodução entre Chile, Brasil, Argentina, Holanda e Qatar, levou o Prêmio KNF, no qual os críticos escolhem o melhor longa coproduzido pela Holanda.

Conheça os vencedores do International Film Festival Rotterdam 2019:

TIGER COMPETITION

Melhor Filme: Present.Perfect., de Shengze Zhu (EUA/Hong Kong)
Prêmio Especial do Júri: Take Me Somewhere Nice, de Ena Sendijarević (Holanda/Bósnia e Herzegovina)

BRIGHT FUTURE

Melhor Filme: A Volta ao Mundo Quando Tinhas 30 anos, de Aya Koretzky (Portugal)
Menção Especial: Historia de mi nombre, de Karin Cuyul (Chile/Brasil)

BIG SCREEN COMPETITION:
Melhor Filme: Transnistra, de Anna Eborn (Suécia)

PRÊMIO DO PÚBLICO:
Cafarnaum, de Nadine Labaki (Líbano)

PRÊMIO DO PÚBLICO | HUBERT BALS FUND:
La Flor (Parte 2), de Mariano Llinás (Argentina)

PRÊMIO DO PÚBLICO | VOICES SHORT:
Casa de Vidro, de Filipe Martin (Portugal)

PRÊMIO FIPRESCI:
Ende der Saison, de Elmar Imanov (Alemanha)

PRÊMIO KNF:
Tarde para Morrer Jovem, de Dominga Sotomayor (Chile/Brasil/Argentina/Holanda/Qatar)

PRÊMIO NETPAC:
Last Night I Saw You Smiling, de Kavich Neang (Camboja/França)

PRÊMIO YOUTH JURY:
Lazzaro Felice, de Alice Rohrwacher (Itália/ Suíça/França/Alemanha)

PRÊMIO FOUND FOOTAGE:
Kodak, de Andrew Norman Wilson (EUA)

Foto: Divulgação/IFFR.

Confira o trailer de Dolor y Gloria, novo filme de Pedro Almodóvar, com Antonio Banderas e Penélope Cruz

por: Cinevitor

dolorygloriatrailer1Penélope Cruz em cena: musa do diretor.

A El Deseo, produtora fundada por Pedro Almodóvar e seu irmão Agustín, divulgou nesta quinta-feira, 31/01, o primeiro trailer de Dolor y Gloria, novo longa do cineasta espanhol, que tem estreia marcada para março nos cinemas.

Segundo a sinopse divulgada no site da produtora, o longa vai narrar uma série de reencontros, alguns físicos e outros recordados depois de décadas, de um cineasta em seu declínio: primeiros amores, a lembrança materna, morte, anos 1970, 1980 e o presente. Vai abordar também o vazio incomensurável de seu protagonista diante da impossibilidade de continuar filmando. Além disso, vai falar da criação cinematográfica e teatral e da impossibilidade de separar sua obra da vida real.

O elenco conta com Antonio Banderas, Asier Etxeandia, Julieta Serrano, Cecilia Roth, Leonardo Sbaraglia, Raúl Arévalo, Eva Martín, Susi Sánchez, Nora Navas, Julián López e Penélope Cruz. No início das filmagens, em julho do ano passado, Almodóvar declarou: “Ao contrário de Julieta, Dolor y Gloria será um filme com protagonistas masculinos, mas trago também atrizes que eu adoro como coadjuvantes”.

Antonio Banderas começou sua carreira em 1982 no filme Labirinto de Paixões, de Pedro Almodóvar. Depois disso, trabalhou diversas vezes com o diretor em outros filmes, como: Matador (1986), A Lei do Desejo (1987), Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1988), Ata-me (1989), A Pele que Habito (2011) e Os Amantes Passageiros (2013).

Penélope Cruz já é considerada uma das musas de Pedro Almodóvar, com quem trabalhou em Carne TrêmulaTudo Sobre Minha MãeVolverAbraços PartidosOs Amantes Passageiros. Cecilia Roth acompanha a trajetória do cineasta desde sua estreia atrás das câmeras com Pepi, Luci, Bom e Outras Garotas de Montão, passando por Maus Hábitos, Labirinto de Paixões e Tudo Sobre Minha Mãe, que levou o Oscar de melhor filme estrangeiro, em 2000.

O ator e cantor espanhol Asier Etxeandia será dirigido por Almodóvar pela primeira vez, já a veterana Julieta Serrano trabalhou com o cineasta em Pepi, Luci, Bom e Outras Garotas de Montão (1980), Maus Hábitos (1983), Matador (1986), Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (1988) e Ata-me (1989).

Confira o trailer de Dolor y Gloria, o 21º filme de Pedro Almodóvar:

Foto: Manolo Pavón.

Anima Mundi emplaca indicação ao Oscar 2019 e abre inscrições para a próxima edição

por: Cinevitor

oscaranimamundiCena do curta canadense Animal Behaviour: na disputa pela estatueta dourada.

Pela quarta vez, o Anima Mundi emplacou uma indicação ao Oscar na categoria de melhor curta-metragem de animação. Vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi em 2018, o filme canadense Animal Behaviour, de Alison Snowden e David Fine, conseguiu uma vaga na importante premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Maior festival de animação da América Latina, o Anima Mundi é qualificado desde 2012 pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences e o curta vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi é elegível a participar das seleções para a disputa do Oscar. Além de Animal Behaviour, três curtas indicados pelo Anima Mundi também disputaram a estatueta dourada: em 2013, Head Over Heels, do Reino Unido (melhor filme Anima Mundi 2012); em 2014, Feral, coprodução entre Portugal e Estados Unidos (melhor filme Anima Mundi 2013); e em 2018, o francês Negative Space, dos diretores Max Porter e Ru Kuwahata.

O Grande Prêmio Anima Mundi é disputado por curtas-metragens brasileiros e internacionais que concorrem em todas as categorias do festival. As inscrições para a 27ª edição, que acontecerá em julho deste ano, são gratuitas e estão abertas no site do festival. Clique aqui.

negativespacecurtaCena do curta Negative Space: indicado ao Oscar 2018.

Neste ano, o Anima Mundi abre duas novas categorias: curta-metragem documentário e Realidade Virtual, além das já tradicionais curta-metragem brasileiro, curta-metragem internacional, curta-metragem infantil, portfólio (filmes publicitários ou feitos sob encomenda), longa-metragem, longa-metragem infantil, Galeria (filmes experimentais), Curta de Estudante, Animação em Curso (trabalhos finais das melhores escolas de animação do mundo), Futuro Animador (filmes que utilizam as linguagens da animação para experiências educativas), Panorama (curtas internacionais que apresentam diversas tendências dentro da animação) e Olho Neles.

Podem ser inscritas no festival obras realizadas em qualquer técnica de animação, em variados suportes de captação, sem restrição de tema ou gênero. São aceitas obras de qualquer duração, sem exigência de duração máxima ou mínima. Não há limite para o número de inscrições por participante, mas só serão aceitos filmes que não tenham sido inscritos em edições anteriores do Anima Mundi.

A curadoria é dos animadores Aída Queiroz, Cesar Coelho, Léa Zagury e Marcos Magalhães, diretores e fundadores do festival. Tradicionalmente, os curtas-metragens são apresentados em sessões infantis ou adultas com até duas horas de duração, que proporcionam experiências incomparáveis. Cada seleção é uma surpresa e traz combinações de filmes de gêneros distintos, como fábulas, dramas, comédias, romances, documentários, terror e suspense. Os locais de realização do 27º Anima Mundi serão divulgados assim que a programação estiver fechada.

Foto: Divulgação.

Confira o trailer de Albatroz, suspense com Alexandre Nero e Andrea Beltrão

por: Cinevitor

albatroztrailerProtagonista: Alexandre Nero em cena.

Com roteiro de Bráulio Mantovani, de Cidade de Deus e Tropa de Elite, e direção de Daniel Augusto, de Não Pare na Pista – A Melhor História de Paulo Coelho, o suspense Albatroz, protagonizado por Alexandre Nero, acaba de ganhar seu primeiro trailer.

Na trama, Nero interpreta o fotógrafo Simão e a narrativa apresenta descobertas recentes da neurociência para tecer uma trama de suspense que ultrapassa as fronteiras entre a realidade, o sonho e o delírio. Casado com Catarina, papel de Maria Flor, compositora de jingles publicitários, Simão se apaixona pela atriz judia Renée, interpretada por Camila Morgado, com quem viaja a Jerusalém. Lá, o fotógrafo registra um atentado terrorista frustrado e mal explicado. As fotos do atentado tornam Simão mundialmente famoso. Porém, ao mesmo tempo, disparam críticas ferrenhas à sua atitude: em vez de tentar evitar a tragédia, preferiu fotografar.

Simão sucumbe à depressão e abandona a fotografia, declarando estar interessado apenas em fotografar seus sonhos. Enquanto tenta salvar seu casamento com Catarina e recuperar sua pulsão criativa dedicando-se às artes plásticas, Simão é procurado pela ex-namorada de adolescência e primeiro amor de sua vida, Alícia, vivida por Andrea Beltrão, que o convida a realizar seu desejo de fotografar os sonhos no laboratório da neurocientista Dra. Weber, papel de Andreia Horta.

A aventura artística-científica, porém, logo se revela uma terrível armadilha. Incapaz de saber se está sonhando ou se está acordado, Simão enfrenta aterradores fantasmas do passado e teme estar sendo usado em uma sinistra conspiração política de consequências potencialmente catastróficas.

O longa, que foi selecionado para o 39º Festival Internacional de Cinema de Porto e para o Festival de Havana, conta também com Gustavo Machado, Marcelo Serrado, Roney Facchini, Bel Kowarick, Paula Picarelli e Martha Nowill no elenco.

Confira o trailer de Albatroz, que tem estreia prevista para o dia 7 de março:

Foto: Aline Arruda.

Guaxuma e Outras Histórias: programa de curtas de Nara Normande será exibido no Espaço Itaú de Cinema

por: Cinevitor

guaxumaitauCena de Guaxuma, curta premiado em diversos festivais.

A Distribuidora Arteplex Filmes vai exibir três curtas-metragens da diretora alagoana Nara Normande, em um único programa, no circuito Itaú Cinemas. A proposta é abrir espaço permanente ao curta, reconhecendo a importância que este formato tem para o cinema brasileiro. “Exibir curtas-metragens com tratamento de longa permite que um novo público possa apreciar a qualidade dos filmes curtos produzidos no Brasil”, diz o diretor de programação dos cinemas Itaú, Adhemar Oliveira.

Guaxuma teve sua estreia internacional em Annecy em 2018, foi premiado no Anima Mundi e no Festival de Gramado; no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro recebeu o prêmio de melhor direção e no Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, o Prêmio do Público. Também foi escolhido como melhor filme narrativo no Festival de Animação de Ottawa e no Festival de Hamptons, que qualifica para o Oscar, ganhou o prêmio de melhor curta documentário. Na 5ª Mostra de Cinema de Gostoso, levou o prêmio de melhor curta segundo o Júri Popular e, recentemente, foi eleito pela Abraccine, Associação Brasileira de Críticos de Cinema, o melhor curta-metragem de 2018. O filme também foi selecionado para o Festival de Documentários de Amsterdã (IDFA) e para Festival de Toronto, ambos em 2018.

O filme foi realizado com três técnicas de animação: animação em areia 2D, escultura em areia e stop motion de bonecos. Guaxuma é fruto de encontros entre o Brasil e a Europa, de animadoras e animadores com um ponto em comum: a paixão e a dedicação à profissão.

diaestreladoitauCena do curta Dia Estrelado.

O segundo curta que Nara Normande codirigiu com Tião, Sem Coração, é uma ficção vencedora do Prêmio Illy de melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, em 2014, e do Prêmio Coral de melhor curta de ficção no Festival de Havana. Também foi premiado pelo público em Bilbao, na Espanha e em Dresden, na Alemanha. No Brasil, recebeu os prêmios principais nos festivais: Brasília, Internacional de Curtas, Goiânia, Curta Cinema, no Rio, Diálogo, em Porto Alegre, além de ter sido selecionado para Clermont Ferrand (França), Roterdã (Holanda) e New Directors/New Films (EUA).

Dia Estrelado, o primeiro curta de animação dirigido por Nara, foi premiado em diversos festivais brasileiros como o Janela Internacional de Cinema do Recife, Cine Ceará (Prêmio Abraccine), Festival Internacional de Curtas, Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – FICA, além de ter sido selecionado para o Festival de Havana e Bogotá.

Saiba mais:

GUAXUMA E OUTRAS HISTÓRIAS
Estreia nos cinemas: 31 de janeiro, permanecendo em cartaz durante quatro semanas
Local: Espaço Itaú de Cinema
Unidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Salvador
Ingressos: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia)

FILMES
Guaxuma (Animação/Ficção/17 min/2017)
Sinopse: Eu e a Tayra crescemos juntas na praia de Guaxuma. A gente era inseparável. O sopro do mar me traz boas lembranças.

Sem Coração, codirigido com Tião (Live-action/Ficção/25 min/2014)
Elenco: Eduarda Samara, Rafael Nicácio, Ricardo Lavenère
Sinopse: Léo vai passar férias na casa de seu primo, em uma vila pesqueira. Lá, ele conhece uma menina apelidada de Sem Coração.

Dia Estrelado (Animação/Ficção/17 min/2011)
Sinopse: Em um lugar inóspito, um menino e sua família lutam pela sobrevivência.

Fotos: Divulgação.

Conheça os integrantes do júri do Festival de Berlim 2019

por: Cinevitor

sandrahullerberlimjuriSandra Hüller se destacou recentemente em Toni Erdmann, de Maren Ade.

A 69ª edição do Festival de Berlim, que acontecerá entre os dias 7 e 17 de fevereiro, terá a atriz francesa Juliette Binoche como presidente do júri; em 1993, ela recebeu o prêmio Berlinale Camera e em 1997, o Urso de Prata de melhor atriz pelo seu trabalho em O Paciente Inglês, de Anthony Minghella.

Nesta terça-feira, 29/01, foram anunciados os nomes dos integrantes que completam o júri oficial. Juntos, terão a missão de escolher os grandes vencedores do Urso de Prata e do Urso de Ouro, considerados os prêmios mais importantes do evento.

Os membros do júri são: o crítico americano Justin Chang; a atriz alemã Sandra Hüller, vencedora do Urso de Prata, em 2006, por sua atuação em Requiem; o cineasta chileno Sebastián Lelio, premiado na Berlinale com Gloria, em 2013, e com Uma Mulher Fantástica, em 2017; Rajendra Roy, curador do Museum of Modern Art (MoMA), em Nova York; e a atriz e diretora britânica Trudie Styler, que passou por Berlim em 2017 com o filme Freak Show.

Foto: Andreas Rentz/Getty Images Europe.

Pantera Negra é o grande vencedor do 25º SAG Awards

por: Cinevitor

panteranegrasagawardsElenco de Pantera Negra reunido no palco.

O Sindicato dos Atores dos Estados Unidos anunciou neste domingo, 27/01, os vencedores do 25º Screen Actors Guild Awards, também conhecido como SAG Awards, prêmio que elege os melhores atores da TV e do cinema e é considerado uma prévia para o Oscar. A cerimônia foi apresentada pela atriz Megan Mullally.

O grande vencedor desta 25ª edição foi Pantera Negra, do Universo Cinematográfico Marvel, que narra a história do super-herói que precisa derrotar seus inimigos e garantir a segurança do povo de Wakanda, antes governado por seu pai e agora comandado por ele. O filme levou os prêmios de melhor elenco e melhor equipe de dublê. O protagonista Chadwick Boseman, que interpreta o jovem rei, fez um discurso emocionante: “Nós sabemos o que é não ter espaço. Mas sabíamos que tínhamos algo de especial pra trazer para o mundo, que tínhamos algo para passar para as pessoas. E se você tiver essa oportunidade, você vai se sentir um artista realizado. É um prazer ser reconhecido e amado por vocês”, finalizou.

Neste ano, Tom Hanks subiu ao palco para homenagear o ator Alan Alda com o prêmio Life Achievement pelo conjunto da obra. Com mais de 60 trabalhos no currículo, Alda foi indicado ao Oscar, em 2005, na categoria de melhor ator coadjuvante pelo filme O Aviador. Por seu trabalho na série M*A*S*H foi premiado diversas vezes, inclusive no Globo de Ouro. No SAG, recebeu três indicações ao longo da carreira.

Conheça os vencedores do 25º SAG Awards nas categorias de cinema:

MELHOR ELENCO:
Pantera Negra

MELHOR ATOR:
Rami Malek, por Bohemian Rhapsody

MELHOR ATRIZ:
Glenn Close, por A Esposa

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Mahershala Ali, por Green Book: O Guia

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Emily Blunt, por Um Lugar Silencioso

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS:
Pantera Negra

Foto: Divulgação/Getty Images.

Conheça os vencedores da 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes

por: Cinevitor

vencedorestiradentes2019Os vencedores de 2019 no palco.

Foram anunciados neste sábado, 26/01, no Cine-Tenda, os vencedores do Troféu Barroco da 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Os premiados nas mostras Aurora e Foco foram escolhidos pelo Júri da Crítica; da mostra Olhos Livres foram avaliados pelo Júri Jovem; além do longa e curta eleitos pelo Júri Popular.

Neste ano, o evento beneficiou mais de 37 mil pessoas. Ao longo de nove dias de programação gratuita, apresentou a pluralidade de conteúdos audiovisuais em 108 filmes brasileiros, 49 sessões de cinema e 36 debates.

Confira a lista completa com os vencedores da 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes:

MELHOR CURTA-METRAGEM | JÚRI POPULAR:
NEGRUM3, de Diego Paulino (SP)

MELHOR CURTA-METRAGEM | MOSTRA FOCO | JÚRI DA CRÍTICA:
Caetana, de Caio Bernardo (PB)

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS:
NEGRUM3, de Diego Paulino (SP)

PRÊMIO CARLOS REICHENBACH | MELHOR LONGA-METRAGEM | MOSTRA OLHOS LIVRES:
Parque Oeste, de Fabiana Assis (GO)

MELHOR LONGA-METRAGEM | MOSTRA AURORA | JÚRI DA CRÍTICA:
Vermelha, de Getúlio Ribeiro (GO)

MELHOR LONGA-METRAGEM | JÚRI POPULAR:
Meu Nome é Daniel, dirigido por Daniel Gonçalves (RJ)

PRÊMIO HELENA IGNEZ | DESTAQUE FEMININO:
Cristina Amaral, pela montagem de Um Filme de Verão

Foto: Beto Staino/Universo Produção.

A Rosa Azul de Novalis, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro, é exibido na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes

por: Cinevitor

azulnovalistiradentesCine-Tenda lotado durante a exibição do longa.

Depois de ser exibido no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, na seção work in progress, e selecionado para a Mostra Forum do Festival de Berlim deste ano, A Rosa Azul de Novalis, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro, foi exibido nesta sexta-feira, 25/01, no Cine-Tenda na mostra Aurora da 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes.

O longa apresenta Marcelo, interpretado por Marcelo Diorio, um homem que vive relembrando o passado, inclusive de outras encarnações. Numa delas, ela foi o poeta alemão Novalis, que perseguia uma rosa azul. A partir de Marcelo, seus dilemas e suas buscas, os diretores pretendem chamar atenção para o ânus, tornando esse buraco, considerado obscuro, o ponto de partida para a compreensão do personagem.

A proposta dos realizadores foi fazer um filme com um personagem e não sobre um personagem, abordando todos os aspectos deste, não apenas o seu lado bonito. Vinagre e Carneiro comentam o processo criativo: “Nosso trabalho parte sempre de uma realidade, para recriá-la, transformá-la em algo que de alguma forma possa colocar o espectador em xeque sobre algumas questões geralmente consideradas tabu, e ao mesmo tempo muitas coisas são também colocadas em xeque para o personagem que atua como si mesmo, e para nós, que dirigimos. Há sempre uma jornada de autoconhecimento. Não à toa, todos os nossos filmes tematizam traumas, e são extremamente falados, como numa sessão de psicanálise. Este não foge disso”.

O elenco conta também com Majeca Angelucci, Marcos Hermanson Pomar, Thais de Almeida Prado, Estela Lapponi, Beatriz Pomar, Rafael Rudolf e Christian Sedemaka.

Para falar mais sobre o filme, conversamos com Gustavo Vinagre antes da exibição do longa em Tiradentes. Aperte o play e confira:

*O CINEVITOR está em Tiradentes a convite do evento e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal do YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção.

Seus Ossos e Seus Olhos: Malu Galli e Caetano Gotardo falam sobre o filme na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes

por: Cinevitor

gotardomalutiradentes1Diretor e atriz no Cine-Tenda antes da exibição do filme.

Dirigido e protagonizado por Caetano Gotardo, Seus Ossos e Seus Olhos abriu a Mostra Aurora, na segunda-feira, 21/01, no Cine-Tenda da 22ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes. A tradicional sessão competitiva do evento mantém o olhar para a produção independente das mais variadas regiões do país. Neste ano, a afirmação de identidades, culturas e histórias permeiam a seleção, ao mesmo tempo em que cada trabalho inventa uma língua própria para expressar com liberdade os múltiplos conflitos que os atravessam.

Na história, Antônio é um cineasta de classe média, que passa por uma série de encontros com pessoas como Irene, sua amiga de longa data; Álvaro, seu namorado; Matias, um rapaz que vê no metrô e com quem se envolve sexualmente, entre outros conhecidos e desconhecidos. Esses encontros o afetam e revelam aos poucos um jogo de tempos que mistura vida e processo de criação, presente e memória.

No dia seguinte à exibição, o diretor participou do seminário Encontro com os Filmes, no Cine Teatro Sesi, ao lado de vários integrantes da equipe, entre eles, a atriz Malu Galli. O debate foi mediado pelo crítico de cinema e jornalista Marcelo Miranda e contou com a presença de Pablo Gonçalo, crítico convidado: “É uma obra sobre a escuridão do mundo contemporâneo“, afirmou Gonçalo sobre o filme.

Seus Ossos e Seus Olhos foi selecionado para a mostra Bright Future do Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2019. O elenco conta também com Vinicius Meloni, Marina Tranjan, Carlota Joaquina, Larissa Siqueira, Carlos Escher e Wandré Gouveia.

Para falar mais sobre o longa, conversamos com a atriz Malu Galli e com o diretor Caetano Gotardo. Aperte o play e confira:

*O CINEVITOR está em Tiradentes a convite do evento e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal do YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção.

Inferninho na 22ª Mostra de Cinema de Tiradentes: Guto Parente fala sobre o filme, elenco e festivais

por: Cinevitor

inferninhotiradentes1Equipe de Inferninho no palco antes da exibição.

Dirigido por Guto Parente e Pedro Diogenes, o longa Inferninho foi exibido no domingo, 20/01, no Cine-Tenda da 22ª edição da Mostra de Cinema de Tiradentes. O filme faz parte da Mostra Corpos Adiante, que traz uma programação com produções que dialogam com a tradição, inventam um futuro e inspiram outras dissidências.

Na história, Deusimar, é dona do Inferninho, um bar escuro e degradado que é refúgio de sonhos e fantasias. Seu sonho é deixar tudo para trás e ir embora para qualquer lugar distante, o mais longe possível daquele lugar. Apaixonar-se por Jarbas, o marinheiro bonito que chega ao bar, sonhando em encontrar um lar, vai mudar completamente sua vida e a vida dos empregados do bar: Luizianne, a cantora; Coelho, o garçom; e Caixa-Preta, a faxineira. O elenco conta com Yuri Yamamoto, Demick Lopes, Samya de Lavor, Rafael Martins, Tatiana Amorim, Paulo Ess, Galba Nogueira, Pedro Domingues e Gustavo Lopes.

No dia seguinte à exibição, Guto Parente, um dos diretores do longa, participou do seminário Encontros com os Filmes ao lado do ator Rafael Martins, que interpreta o Coelho, e da produtora executiva Caroline Louise. O crítico convidado João Dumans, também diretor do filme Arábia, elogiou o uso do melodrama como catalisador de emoções no filme de Parente e Diogenes. No debate, mediado por Lila Foster, Guto contou que o filme partiu de um convite feito pelos integrantes do Grupo Bagaceira de Teatro, de Fortaleza, cujos atores e atrizes aparecem no elenco do longa e colaboraram diretamente na realização do projeto.

inferninhoqueerlisboaRafael Martins em cena.

Inferninho foi exibido na seção Bright Future do Festival Internacional de Cinema de Roterdã do ano passado, no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no BAFICI, em Buenos Aires, e também no 26º Festival Mix Brasil. Recebeu o Prêmio Especial do Júri da mostra Première Brasil Novos Rumos no Festival do Rio e foi premiado no Queer Lisboa 2018. Além disso, foi eleito o melhor filme do XI Janela Internacional de Cinema do Recife e foi agraciado com o Prêmio Imprensa de melhor longa-metragem da 5ª Mostra de Cinema de Gostoso.

Para falar mais sobre o filme, batemos um papo com Guto Parente, que falou sobre o processo de criação, o encontro com o Grupo Bagaceira de Teatro, a importância dos festivais e relembrou edições anteriores da Mostra de Cinema de Tiradentes, na qual foi premiado em 2010 com Estrada para Ythaca. Aperte o play e confira:

*O CINEVITOR está em Tiradentes a convite do evento e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal do YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção.