Notícias

Fique por dentro de tudo o que acontece no universo do cinema!

26º SAG Awards: conheça os indicados

por: Cinevitor

parasitasagawardsLee Sun Gyun e Cho Yeo-jeong em Parasita, de Bong Joon-Ho.

O Sindicato dos Atores dos Estados Unidos divulgou nesta quarta-feira, 11/12, os indicados ao 26º Screen Actors Guild Awards, também conhecido como SAG Awards. O anúncio foi realizado pelas atrizes America Ferrera e Danai Gurira, acompanhadas por Gabrielle Carteris, presidente do SAG-AFTRA (Screen Actors Guild‐American Federation of Television and Radio Artists); JoBeth Williams, presidente do Comitê do SAG Awards; e Elizabeth McLaughlin, membro do Comitê.

O prêmio, que elege os melhores atores da TV e do cinema, é considerado uma prévia para o Oscar, já que seus vencedores quase sempre acabam levando a estatueta dourada para casa. Nesta 26ª edição, o ator Robert De Niro será homenageado com o SAG Life Achievement Award pelo conjunto da obra.

O SAG Awards 2020 acontecerá no dia 19 de janeiro, em Los Angeles, e o apresentador da cerimônia ainda não foi anunciado.

Confira a lista com os indicados ao 26º SAG Awards nas categorias de cinema:

MELHOR ELENCO:
Era Uma Vez em… Hollywood
Jojo Rabbit
O Escândalo
O Irlandês
Parasita

MELHOR ATOR:
Adam Driver, por História de um Casamento
Christian Bale, por Ford vs Ferrari
Joaquin Phoenix, por Coringa
Leonardo DiCaprio, por Era Uma Vez em… Hollywood
Taron Egerton, por Rocketman

MELHOR ATRIZ:
Charlize Theron, por O Escândalo
Cynthia Erivo, por Harriet
Lupita Nyong’o, por Nós
Renée Zellweger, por Judy
Scarlett Johansson, por História de um Casamento

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Al Pacino, por O Irlandês
Brad Pitt, por Era Uma Vez em… Hollywood
Jamie Foxx, por Luta por Justiça
Joe Pesci, por O Irlandês
Tom Hanks, por Um Lindo Dia na Vizinhança

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Jennifer Lopez, por As Golpistas
Laura Dern, por História de um Casamento
Margot Robbie, por O Escândalo
Nicole Kidman, por O Escândalo
Scarlett Johansson, por Jojo Rabbit

MELHOR EQUIPE DE DUBLÊS:
Coringa
Era Uma Vez em… Hollywood
Ford vs Ferrari
O Irlandês
Vingadores: Ultimato

Foto: Divulgação.

Prêmio APCA: Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, é eleito o melhor filme de 2019

por: Cinevitor

bacurauAPCAIngrid Trigueiro e Carlos Francisco em Bacurau: filme premiado.

A Associação Paulista de Críticos de Artes anunciou nesta segunda-feira, 09/12, os vencedores do Prêmio APCA 2019, que conta com os melhores do ano nas seguintes categorias: Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão.

Neste ano, a diretoria da entidade concedeu o Prêmio Especial da APCA para a atriz Fernanda Montenegro, por seu protagonismo na defesa da liberdade de expressão, representatividade e contribuição inequívocas em quatro categorias das artes contempladas pelo troféu: Cinema, Literatura, Teatro e Televisão.

Em assembleia que reuniu os críticos no Sindicato dos Jornalistas do Estado de S. Paulo, Celso Curi, presidente da APCA em seu segundo mandato, reitera a necessidade de atuação e fortalecimento da crítica cultural num momento em que a luta é contra quaisquer tipos de retrocesso: “A livre atuação da crítica cultural é também uma garantia de resistência no campo artístico. Nossa luta é e será sempre pelo respeito à Constituição, que no seu Art. 5, inc. IX diz que ‘é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença'”.

Na categoria Cinema, os críticos Luiz Carlos Merten, Flavia Guerra, Orlando Margarido e Walter Cezar Addeo escolheram Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, como o melhor filme do ano. A cerimônia de entrega aos artistas contemplados acontecerá no Teatro Sérgio Cardoso, no dia 17 de fevereiro de 2020, ano em que a entidade realiza sua 63ª premiação.

Conheça os vencedores do Prêmio APCA 2019 na categoria de Cinema:

MELHOR FILME:
Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

MELHOR DIREÇÃO:
Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, por Bacurau

MELHOR ROTEIRO:
Aspirantes, escrito por Ives Rosenfeld e Pedro Freire

MELHOR ATOR:
Christian Malheiros, por Sócrates

MELHOR ATRIZ:
Carol Duarte e Júlia Stockler, por A Vida Invisível

MELHOR DOCUMENTÁRIO:
Democracia em Vertigem, de Petra Costa

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI:
A Rosa Azul de Novalis, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro

Foto: Divulgação.

Globo de Ouro 2020: conheça os indicados

por: Cinevitor

doispapasglobodeouroAnthony Hopkins e Jonathan Pryce, em Dois Papas, do brasileiro Fernando Meirelles.

Foram revelados na manhã desta segunda-feira, 9/12, os indicados ao 77º Globo de Ouro, um dos prêmios mais importantes do cinema e da TV. A cerimônia de premiação acontecerá no dia 5 de janeiro de 2020 e será apresentada, pela quinta vez, pelo ator Ricky Gervais.

O anúncio foi realizado pelos atores Tim Allen, Dakota Fanning e Susan Kelechi Watson no Beverly Hilton, em Beverly Hills, e também contou com a presença de Lorenzo Soria, presidente da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), do produtor televisivo Barry Adelman e dos embaixadores do Globo de Ouro, Dylan e Paris Brosnan, filhos do ator Pierce Brosnan.

Neste ano, os homenageados serão Ellen DeGeneres, que receberá o Carol Burnett Award, e o ator Tom Hanks, que será consagrado com o Prêmio Cecil B. DeMille por sua carreira. Além disso, 92 longas, de 63 países, foram considerados elegíveis para a categoria de melhor filme estrangeiro; o Brasil estava representado com A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, premiado no Festival de Cannes.

Conheça os indicados ao Globo de Ouro 2020 nas categorias de cinema:

MELHOR FILME | DRAMA:
1917
Coringa
Dois Papas
História de um Casamento
O Irlandês

MELHOR FILME | COMÉDIA/MUSICAL:
Entre Facas e Segredos
Era Uma Vez em… Hollywood
Jojo Rabbit
Meu Nome é Dolemite
Rocketman

MELHOR ATOR | DRAMA:
Antonio Banderas, por Dor e Glória
Adam Driver, por História de um Casamento
Christian Bale, por Ford vs Ferrari
Joaquin Phoenix, por Coringa
Jonathan Pryce, por Dois Papas

MELHOR ATRIZ | DRAMA:
Charlize Theron, por O Escândalo
Cynthia Erivo, por Harriet
Renée Zellweger, por Judy
Saoirse Ronan, por Adoráveis Mulheres
Scarlett Johansson, por História de um Casamento

MELHOR ATOR | COMÉDIA/MUSICAL:
Daniel Craig, por Entre Facas e Segredos
Eddie Murphy, por Meu Nome é Dolemite
Leonardo DiCaprio, por Era Uma Vez em… Hollywood
Roman Griffin Davis, por Jojo Rabbit
Taron Egerton, por Rocketman

MELHOR ATRIZ | COMÉDIA/MUSICAL:
Ana de Armas, por Entre Facas e Segredos
Awkwafina, por The Farewell
Beanie Feldstein, por Fora de Série
Cate Blanchett, por Cadê Você, Bernadette?
Emma Thompson, por Late Night

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Al Pacino, por O Irlandês
Anthony Hopkins, por Dois Papas
Brad Pitt, por Era Uma Vez em… Hollywood
Joe Pesci, por O Irlandês
Tom Hanks, por Um Lindo Dia na Vizinhança

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Annette Bening, por O Relatório
Kathy Bates, por O Caso Richard Jewell
Jennifer Lopez, por As Golpistas
Laura Dern, por História de um Casamento
Margot Robbie, por O Escândalo

MELHOR DIREÇÃO:
Bong Joon-Ho, por Parasita
Martin Scorsese, por O Irlandês
Quentin Tarantino, por Era Uma Vez em… Hollywood
Sam Mendes, por 1917
Todd Phillips, por Coringa

MELHOR ROTEIRO:
Dois Papas, escrito por Anthony McCarten
Era Uma Vez em… Hollywood, escrito por Quentin Tarantino
História de um Casamento, escrito por Noah Baumbach
Parasita, escrito por Bong Joon Ho e Han Jin Won
O Irlandês, escrito por Steven Zaillian

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA:
Dor e Glória, de Pedro Almodóvar (Espanha)
Les Misérables, de Ladj Ly (França)
Parasita, de Bong Joon-Ho (Coreia do Sul)
Retrato de uma Jovem em Chamas, de Céline Sciamma (França)
The Farewell, de Lulu Wang (EUA/China)

MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO:
Como Treinar o Seu Dragão 3
Frozen 2
Link Perdido
O Rei Leão
Toy Story 4

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL:
1917, por Thomas Newman
Adoráveis Mulheres, por Alexandre Desplat
Brooklyn: Sem Pai Nem Mãe, por Daniel Pemberton
Coringa, por Hildur Guðnadóttir
História de um Casamento, por Randy Newman

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL:
Beautiful Ghosts, interpretada por Taylor Swift (Cats)
(I’m Gonna) Love Me Again, interpretada por Elton John e Taron Egerton (Rocketman)
Into the Unknown, interpretada por Panic! At The Disco (Frozen 2)
Spirit, interpretada por Beyoncé (O Rei Leão)
Stand Up, interpretada por Cynthia Erivo (Harriet)

Foto: Divulgação/Netflix.

Parasita é eleito o melhor filme de 2019 pela Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles

por: Cinevitor

parasitacriticosLACho Yeo-jeong em Parasita: filme aclamado pela crítica.

Fundada em 1975, a Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles é composta por profissionais especializados em crítica cinematográfica que trabalham em veículos impressos e virtuais da cidade. Como de costume, os melhores da sétima arte, segundo os membros da LAFCA, são anunciados sempre em dezembro.

Em sua 45ª edição, a comédia dramática sul-coreana Parasita, de Bong Joon-Ho, levou o prêmio de melhor filme e também foi contemplada em outras categorias. O longa, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes deste ano, conta a história de uma família que bola um plano para se infiltrar numa casa burguesa.

Conheça os vencedores de 2019, segundo a Los Angeles Film Critics Association:

MELHOR FILME:
Parasita, de Bong Joon-Ho
2º lugar: O Irlandês, de Martin Scorsese

MELHOR DOCUMENTÁRIO:
Indústria Americana, de Steven Bognar e Julia Reichert
2º lugar: Apollo 11, de Todd Douglas Miller

MELHOR DIREÇÃO:
Bong Joon-Ho, por Parasita
2º lugar: Martin Scorsese, por O Irlandês

MELHOR ROTEIRO:
História de um Casamento, escrito por Noah Baumbach
2º lugar: Parasita, escrito por Bong Joon Ho e Jin Won Han

MELHOR ATOR:
Antonio Banderas, por Dor e Glória
2º lugar: Adam Driver, por História de um Casamento

MELHOR ATRIZ:
Mary Kay Place, por A Vida de Diane
2º lugar: Lupita Nyong’o, por Nós

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Song Kang-ho, por Parasita
2º lugar: Joe Pesci, por O Irlandês

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Jennifer Lopez, por As Golpistas
2º lugar: Zhao Shuzhen, por The Farewell

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO:
Era Uma Vez em… Hollywood, por Barbara Ling
2º lugar: Parasita, por Ha Jun Lee

MELHOR EDIÇÃO:
Apollo 11, por Todd Douglas Miller
2º lugar: Uncut Gems, por Ronald Bronstein e Benny Safdie

MELHOR FOTOGRAFIA:
Retrato de uma Jovem em Chamas e Atlantique, por Claire Mathon
2º lugar: 1917, por Roger Deakins

MELHOR TRILHA SONORA:
Perdi Meu Corpo, por Dan Levy
2º lugar: 1917, por Thomas Newman

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:
Dor e Glória, de Pedro Almodóvar (Espanha)
2º lugar: Retrato de uma Jovem em Chamas, de Céline Sciamma (França)

MELHOR ANIMAÇÃO:
Perdi Meu Corpo, de Jérémy Clapin
2º lugar: Toy Story 4, de Josh Cooley

PRÊMIO NEW GENERATION:
Joe Talbot, Jimmie Fails e Jonathan Majors, por The Last Black Man in San Francisco

DOUGLAS EDWARDS INDEPENDENT/EXPERIMENTAL FILM/VIDEO:
The Giverny Document, de Ja’Tovia Gary

PRÊMIO CARREIRA:
Elaine May

Foto: Divulgação.

Mulher-Maravilha 1984, com Gal Gadot, ganha primeiro trailer

por: Cinevitor

mulhermaravilha2trailer1Depois do sucesso do primeiro filme, ela está de volta!

Avançando para os anos 80, a próxima grande aventura da super-heroína Mulher-Maravilha traz uma nova inimiga: a Mulher-Leopardo. A sequência do filme, que arrecadou US$ 822 milhões de bilheteria em todo o mundo, é dirigida novamente pela aclamada diretora Patty Jenkins, com a estrela Gal Gadot no papel principal.

O primeiro trailer de Mulher-Maravilha 1984 foi divulgado neste domingo, 08/12, durante a CCXP, Comic Con Experience 2019, em São Paulo, com a presença da diretora e da protagonista. O longa traz ainda no elenco: Chris Pine, Kristen Wiig no papel da vilã, Pedro Pascal, Robin Wright, Connie Nielsen, Gabriella Wilde, entre outros.

Com lançamento previsto para os cinemas brasileiros em junho de 2020, o filme é baseado na personagem criada por William Moulton Marston, aparecendo nos quadrinhos publicados pela DC Entertainment. Juntando-se ao time nos bastidores estão vários membros da equipe de Mulher-Maravilha, incluindo o diretor de fotografia Matthew Jensen. A produção foi filmada em Washington, D.C. e Alexandria, nos EUA, e também em locações no Reino Unido, Espanha e Ilhas Canárias.

Confira o primeiro trailer de Mulher-Maravilha 1984:

Foto: Divulgação/Warner Bros. Pictures.

O Irlandês, de Martin Scorsese, lidera indicações ao 25º Critics’ Choice Awards

por: Cinevitor

oirlandescriticschoiceRobert De Niro em O Irlandês, de Martin Scorsese.

A Broadcast Film Critics Association, maior organização de críticos americanos e canadenses, que conta com mais de 300 membros, anunciou neste domingo, 08/12, os indicados ao 25º Critics’ Choice Awards, importante premiação que elege os melhores da TV e do cinema, e que acontecerá no dia 12 de janeiro de 2020.

Neste ano, O Irlandês, dirigido por Martin Scorsese, lidera a lista com 14 indicações, entre elas, a de melhor filme. Era Uma Vez em… Hollywood, de Quentin Tarantino, aparece na sequência em doze categorias. Adoráveis Mulheres, de Greta Gerwig, se destaca com nove.

Conheça os indicados ao 25º Critics’ Choice Awards nas categorias de cinema:

MELHOR FILME:
1917
Adoráveis Mulheres
Coringa
Era Uma Vez em… Hollywood
Ford vs Ferrari
História de um Casamento
Jojo Rabbit
O Irlandês
Parasita
Uncut Gems

MELHOR ATOR:
Adam Driver, por História de um Casamento
Adam Sandler, por Uncut Gems
Antonio Banderas, por Dor e Glória
Eddie Murphy, por Meu Nome é Dolemite
Joaquin Phoenix, por Coringa
Leonardo DiCaprio, por Era Uma Vez em… Hollywood
Robert De Niro, por O Irlandês

MELHOR ATRIZ:
Awkwafina, por The Farewell
Charlize Theron, por O Escândalo
Cynthia Erivo, por Harriet
Lupita Nyong’o, por Nós
Renée Zellweger, por Judy
Saoirse Ronan, por Adoráveis Mulheres
Scarlett Johansson, por História de um Casamento

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Al Pacino, por O Irlandês
Anthony Hopkins, por Dois Papas
Brad Pitt, por Era Uma Vez em… Hollywood
Joe Pesci, por O Irlandês
Tom Hanks, por Um Lindo Dia na Vizinhança
Willem Dafoe, por O Farol

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Florence Pugh, por Adoráveis Mulheres
Jennifer Lopez, por As Golpistas
Laura Dern, por História de um Casamento
Margot Robbie, por O Escândalo
Scarlett Johansson, por Jojo Rabbit
Zhao Shuzhen, por The Farewell

MELHOR ATOR/ATRIZ JOVEM:
Archie Yates, por Jojo Rabbit
Julia Butters, por Era Uma Vez em… Hollywood
Noah Jupe, por Honey Boy
Roman Griffin Davis, por Jojo Rabbit
Shahadi Wright Joseph, por Nós
Thomasin McKenzie, por Jojo Rabbit

MELHOR ELENCO:
Adoráveis Mulheres
Entre Facas e Segredos
Era Uma Vez em… Hollywood
História de um Casamento
O Escândalo
O Irlandês
Parasita

MELHOR DIREÇÃO:
Bong Joon-Ho, por Parasita
Greta Gerwig, por Adoráveis Mulheres
Josh e Benny Safdie, por Uncut Gems
Martin Scorsese, por O Irlandês
Noah Baumbach, por História de um Casamento
Quentin Tarantino, por Era Uma Vez em… Hollywood
Sam Mendes, por 1917

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:
Entre Facas e Segredos, escrito por Rian Johnson
Era Uma Vez em… Hollywood, escrito por Quentin Tarantino
História de um Casamento, escrito por Noah Baumbach
Parasita, escrito por Bong Joon Ho e Han Jin Won
The Farewell, escrito por Lulu Wang

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:
Adoráveis Mulheres, escrito por Greta Gerwig
Coringa, escrito por Todd Phillips e Scott Silver
Dois Papas, escrito por Anthony McCarten
Jojo Rabbit, escrito por Taika Waititi
O Irlandês, escrito por Steven Zaillian
Um Lindo Dia na Vizinhança, escrito por Noah Harpster e Micah Fitzerman-Blue

MELHOR FOTOGRAFIA:
1917, por Roger Deakins
Coringa, por Lawrence Sher
Era Uma Vez em… Hollywood, por Robert Richardson
Ford vs Ferrari, por Phedon Papamichael
O Farol, por Jarin Blaschke
O Irlandês, por Rodrigo Prieto

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO:
1917, por Dennis Gassner e Lee Sandales
Adoráveis Mulheres, por Jess Gonchor e Claire Kaufman
Coringa, por Mark Friedberg e Kris Moran
Downton Abbey, por Donal Woods e Gina Cromwell
Era Uma Vez em… Hollywood, por Barbara Ling e Nancy Haigh
O Irlandês, por Bob Shaw e Regina Graves
Parasita, por Lee Ha Jun

MELHOR EDIÇÃO:
1917, por Lee Smith
Era Uma Vez em… Hollywood, por Fred Raskin
Ford vs Ferrari, por Andrew Buckland e Michael McCusker
O Irlandês, por Thelma Schoonmaker
Parasita, por Yang Jinmo
Uncut Gems, por Ronald Bronstein e Benny Safdie

MELHOR FIGURINO:
Adoráveis Mulheres, por Jacqueline Durran
Downton Abbey, por Anna Robbins
Era Uma Vez em… Hollywood, por Arianne Phillips
Meu Nome é Dolemite, por Ruth E. Carter
O Irlandês, por Sandy Powell e Christopher Peterson
Rocketman, por Julian Day

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO:
Coringa
Era Uma Vez em… Hollywood
Judy
Meu Nome é Dolemite
O Escândalo
O Irlandês
Rocketman

MELHORES EFEITOS VISUAIS:
1917
Ad Astra
Ford vs Ferrari
O Irlandês
O Rei Leão
The Aeronauts
Vingadores: Ultimato

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO:
Abominável
Como Treinar o Seu Dragão 3
Frozen 2
Link Perdido
Perdi Meu Corpo
Toy Story 4

MELHOR FILME DE AÇÃO:
1917
Ford vs Ferrari
Homem-Aranha: Longe de Casa
John Wick 3: Parabellum
Vingadores: Ultimato

MELHOR FILME DE COMÉDIA:
Entre Facas e Segredos
Fora de Série
Jojo Rabbit
Meu Nome é Dolemite
The Farewell

MELHOR FILME DE FICÇÃO CIENTÍFICA OU TERROR:
Ad Astra
Midsommar: O Mal Não Espera a Noite
Nós
Vingadores: Ultimato

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:
Atlantique, de Mati Diop (França/Senegal/Bélgica)
Dor e Glória, de Pedro Almodóvar (Espanha)
Les Misérables, de Ladj Ly (França)
Parasita, de Bong Joon-Ho (Coreia do Sul)
Retrato de uma Jovem em Chamas, de Céline Sciamma (França)

MELHOR CANÇÃO:
Glasgow (No Place Like Home), interpretada por Jessie Buckley (As Loucuras de Rose)
(I’m Gonna) Love Me Again, interpretada por Elton John e Taron Egerton (Rocketman)
I’m Standing With You, interpretada por Chrissy Metz (Superação: O Milagre da Fé)
Into the Unknown, interpretada por Panic! At The Disco (Frozen 2)
Speechless, interpretada por Naomi Scott (Aladdin)
Spirit, interpretada por Beyoncé (O Rei Leão)
Stand Up, interpretada por Cynthia Erivo (Harriet)

MELHOR TRILHA SONORA:
1917, por Thomas Newman
Adoráveis Mulheres, por Alexandre Desplat
Coringa, por Hildur Guðnadóttir
História de um Casamento, por Randy Newman
Nós, por Michael Abels
O Irlandês, por Robbie Robertson

Foto: Divulgação/Netflix.

European Film Awards 2019: conheça os vencedores

por: Cinevitor

binocheeuropeanJuliette Binoche foi uma das homenageadas da noite.

Foram anunciados neste sábado, 07/12, em Berlim, na Alemanha, em cerimônia apresentada pelas atrizes Anna Brüggemann e Aistė Diržiūtė, os vencedores do 32º European Film Awards, premiação criada pela European Film Academy que elege as melhores produções cinematográficas europeias. Os premiados são escolhidos pelos membros da EFA, que conta com mais de três mil integrantes.

Dirigido por Yorgos Lanthimos, A Favorita foi o grande vencedor desta edição com oito prêmios, entre eles, o de melhor filme. Dor e Glória, de Pedro Almodóvar, foi consagrado em duas categorias: melhor ator para Antonio Banderas e melhor design de produção.

Confira a lista completa com os vencedores do European Film Awards 2019:

MELHOR FILME EUROPEU:
A Favorita, de Yorgos Lanthimos (Irlanda/Reino Unido/EUA)

MELHOR DIREÇÃO:
Yorgos Lanthimos, por A Favorita

MELHOR ATRIZ EUROPEIA:
Olivia Colman, por A Favorita

MELHOR ATOR EUROPEU:
Antonio Banderas, por Dor e Glória

MELHOR ROTEIRO:
Retrato de uma Jovem em Chamas, escrito por Céline Sciamma

MELHOR FILME EUROPEU DE COMÉDIA:
A Favorita, de Yorgos Lanthimos

MELHOR DOCUMENTÁRIO EUROPEU:
For Sama, de Waad Al-Khateab e Edward Watts (Reino Unido/Síria)

MELHOR FILME EUROPEU DE ANIMAÇÃO:
Buñuel en el laberinto de las tortugas, de Salvador Simó (Espanha/Holanda/Alemanha)

EUROPEAN DISCOVERY | PRÊMIO FIPRESCI:
Les Misérables, de Ladj Ly (França)

MELHOR CURTA-METRAGEM EUROPEU:
Cadoul de Craciun (The Christmas Gift), de Bogdan Mureşanu (Romênia/Espanha)

MELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO:
A Favorita, por Nadia Stacey

MELHOR TRILHA SONORA:
Systemsprenger (System Crasher), por John Gürtler

MELHOR FOTOGRAFIA:
A Favorita, por Robbie Ryan

MELHOR EDIÇÃO:
A Favorita, por Yorgos Mavropsaridis

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO:
Dor e Glória, por Antxón Gómez

MELHOR FIGURINO:
A Favorita, por Sandy Powell

PEOPLE’S CHOICE AWARD:
Guerra Fria, de Pawel Pawlikowski (Polônia/Reino Unido/França)

EUROPEAN ACHIEVEMENT IN FICTION SERIES AWARD:
Babylon Berlin

European Film Academy Lifetime Achievement Award: Werner Herzog
European Achievement in World Cinema: Juliette Binoche
European Co-Production Award | Prix Eurimages: Ankica Jurić Tilić

Foto: Clemens Bilan/Getty Images Europe.

Conheça os vencedores do 14º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro

por: Cinevitor

aruanda2019vencedoresOs premiados de 2019!

Os vencedores da 14ª edição do Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro foram anunciados nesta quarta-feira, 04/12, no Cinépolis Manaíra Shopping, em João Pessoa. A produção cinematográfica paraibana foi consagrada com os prêmios de melhor longa da Competitiva Nacional para Desvio, de Arthur Lins, e melhor curta-metragem da mostra Sob o Céu Nordestino para Quitéria, de Tiago A. Neves.

Na Mostra Competitiva Nacional de Curtas, o catarinense Apenas o que Você Precisa Saber Sobre Mim, dirigido por Maria Augusta Nunes, foi o grande vencedor e levou quatro troféus, entre eles, melhor filme e melhor atriz para Alice Doro.

Além dos prêmios, a noite de encerramento também contou com duas homenagens: para Mônica Botelho, idealizadora e diretora-geral do Cineport; e para o mestre Sivuca, in memoriam, pela criação de trilhas sonoras para filmes brasileiros. Por fim, antes da solenidade de premiação, foi exibido o filme de encerramento, O Barato de Iacanga, documentário de Thiago Mattar sobre o mais lendário festival ao ar livre da música brasileira, o Festival de Águas Claras, que fez sucesso entre as décadas de 1970 e 1980 e ficou conhecido como o Woodstock do Brasil.

O júri das mostras nacionais de longas e curtas foi formado pela atriz Suzy Lopes, pelo ator Marco Ricca e pelo jornalista e escritor Fernando Morais. O júri da mostra Sob o Céu Nordestino foi composto por Emilia Silveira, cineasta; Fernando Trevas, professor universitário; e João Batista de Andrade, cineasta. A Abraccine, Associação Brasileira de Críticos de Cinema, também premiou os melhores e o júri foi formado por Luiza Lusvarghi, Flávia Mayer e João Batista de Brito.

Confira a lista completa com os vencedores do Fest Aruanda 2019:

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL | LONGAS-METRAGENS

Melhor Som: Partida, por Vasco Pimentel
Melhor Edição: Partida, por Tiago Marinho
Melhor Figurino: Indianara
Melhor Roteiro: Desvio, escrito por Arthur Lins
Melhor Fotografia: Pacificado, por Laura Merians
Melhor Direção de Arte: Desvio, por Shiko
Melhor Trilha Sonora: Desvio, por Vitor Colares
Melhor Atriz (empate): Georgette Fadel, por Partida e Débora Nascimento, por Pacificado
Menção Honrosa: Lea Garcia, por Pacificado
Melhor Ator: Daniel Porpino, por Desvio e Bukassa Kabengele, por Pacificado
Melhor Direção: Arthur Lins, por Desvio
Prêmio Especial do Júri: Partida, de Caco Ciocler
Menção Honrosa: Barretão, de Marcelo Santiago; e Indianare Siqueira
Melhor Filme | Júri Popular: Desvio, de Arthur Lins
Melhor Filme | Júri Oficial: Desvio, de Arthur Lins

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL | CURTAS-METRAGENS

Melhor Som: Gravidade, por Felipe Grytz
Melhor Edição: Um, por Daniel Kfouri e Diógenes Moura
Melhor Figurino: Apenas o que Você Precisa Saber Sobre Mim, por Cíntia Domit Bittar
Melhor Roteiro: O Grande Amor de um Lobo, escrito por Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa
Melhor Fotografia: Brasil, Cuba, por Arturo de la Garza
Melhor Direção de Arte: Um, por Daniel Kfouri
Melhor Trilha Sonora: Nadir
Melhor Atriz: Alice Doro, por Apenas o que Você Precisa Saber Sobre Mim
Melhor Ator: Jean-Claude Bernardet, por Nuvem Negra
Melhor Direção: Maria Augusta Nunes, por Apenas o que Você Precisa Saber Sobre Mim
Melhor Curta | Júri Popular: O Grande Amor de um Lobo, de Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa
Melhor Curta: Apenas o que Você Precisa Saber Sobre Mim, de Maria Augusta Nunes

MOSTRA SOB O CÉU NORDESTINO | CURTAS

Melhor Som: Faixa de Gaza, por Diogo Rocha
Melhor Montagem: O Grande Amor de um Lobo, por Kennel Rogis
Melhor Roteiro (empate): Fim, escrito por Ana Dinniz e Costureiras, escrito por Mailsa Passos, Rita Ribes e Virgínia Oliveira
Melhor Fotografia: Brasil, Cuba, por Arturo de la Garza
Melhor Ator ou Personagem Masculino: Paulo Phillipe, por Faixa de Gaza
Melhor Atriz ou Personagem Feminino: Arly Arnaud, por Quitéria
Melhor Direção: Lúcio César Fernandes, por Faixa de Gaza
Melhor Curta | Júri Oficial: Quitéria, de Tiago A. Neves
Melhor Curta | Júri Popular: O Grande Amor de um Lobo, de Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa

MOSTRA SOB O CÉU NORDESTINO | LONGAS

Melhor Som: Soldados da Borracha, por José Loureiro, Fernando Cavalcante e Lênio Oliveira
Melhor Montagem: Soldados da Borracha, por Mair Tavares e Leyda Nápoles
Melhor Roteiro: O que os Olhos Não Veem, escrito por Vânia Perazzo Barbosa Hlebarova
Melhor Fotografia: Currais, por Petrus Cariry
Melhor Direção de Arte: Currais, por Carolinne Vieira, Sabina Colares e Thaís de Campos
Melhor Trilha Sonora: Soldados da Borracha, por DJ Dolores
Melhor Atriz ou Personagem Feminino: Zezita Matos, por Currais
Melhor Ator ou Personagem Masculino: Jackson do Pandeiro, por Jackson, na Batida do Pandeiro
Melhor Direção: David Aguiar e Sabina Colares, por Currais
Prêmio Especial do Júri: Jackson, na Batida do Pandeiro, de Marcus Vilar e Cacá Teixeira
Melhor Filme | Júri Oficial: Soldados da Borracha, de Wolney Oliveira
Melhor Filme | Júri Popular: Soldados da Borracha, de Wolney Oliveira

PRÊMIO ABRACCINE

Melhor Curta: Faixa de Gaza, de Lúcio César Fernandes
Melhor Filme: Indianara, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa

*O CINEVITOR esteve em João Pessoa e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal no YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Mano de Carvalho.

Conheça os vencedores do New York Film Critics Circle Awards 2019

por: Cinevitor

oirlandescriticosnyRobert De Niro e Al Pacino em O Irlandês, de Martin Scorsese.

O New York Film Critics Circle Awards conta com um seleto e respeitado grupo de jornalistas que elege as melhores produções do ano, tornando-se um termômetro para a temporada de premiações. O evento surgiu com o objetivo de defender filmes que poderiam ser desprezados pelo público e também pela indústria do entretenimento.

Os críticos de Nova York elegem os melhores do cinema desde 1935 e, inicialmente, eram conhecidos por premiar filmes que de certa forma eram injustiçados pelo Oscar, que realizou sua primeira cerimônia em 1929. Cidadão Kane, de Orson Welles, por exemplo, foi eleito o melhor filme de 1941 pelos críticos e não recebeu a famosa estatueta dourada da Academia. O mesmo aconteceu com Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, em 1971; Os Bons Companheiros, de Martin Scorsese, em 1990; entre outros.

A última vez que um filme foi consagrado como o melhor do ano tanto pelos críticos de Nova York como pelos votantes da Academia foi em 2011, com O Artista, de Michel Hazanavicius. No ano passado, o mexicano Roma, de Alfonso Cuarón, foi o grande vencedor.

Confira a lista completa com os vencedores do New York Film Critics Circle Awards 2019:

MELHOR FILME:
O Irlandês, de Martin Scorsese

MELHOR DIREÇÃO:
Benny Safdie e Josh Safdie, por Uncut Gems

MELHOR ROTEIRO:
Era Uma Vez em… Hollywood, escrito por Quentin Tarantino

MELHOR ATRIZ:
Lupita Nyong’o, por Nós

MELHOR ATOR:
Antonio Banderas, por Dor e Glória

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
Laura Dern, por História de um Casamento e Adoráveis Mulheres

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
Joe Pesci, por O Irlandês

MELHOR FOTOGRAFIA:
Retrato de uma Jovem em Chamas, por Claire Mathon

MELHOR ANIMAÇÃO:
Perdi Meu Corpo, de Jérémy Clapin

MELHOR DOCUMENTÁRIO:
Honeyland, de Tamara Kotevska e Ljubomir Stefanov

MELHOR FILME ESTRANGEIRO:
Parasita, de Bong Joon-Ho (Coreia do Sul)

MELHOR PRIMEIRO FILME:
Atlantique, de Mati Diop

PRÊMIO ESPECIAL | STUDENT SCHOLARSHIP:
Cole Kronman

PRÊMIO ESPECIAL:
Indiecollect
Randy Newman

Foto: Divulgação/Netflix.

Entrevista: Débora Nascimento fala sobre Pacificado, exibido no 14º Fest Aruanda

por: Cinevitor

deboraaruandapacificadoA atriz na apresentação do filme.

Vencedor da Concha de Ouro no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián e premiado na 43ª Mostra de São Paulo, Pacificado, dirigido por Paxton Winters, encerrou a Mostra Competitiva Nacional de Longas da 14ª edição do Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro.

Produzido por Darren Aronofsky e pelos brasileiros Marcos Tellechea e Paula Linhares, da Reagent Media, a história se passa no Morro dos Prazeres, no Rio de Janeiro, na época dos Jogos Olímpicos, em 2016, enquanto as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) ocupam os morros para manter o controle durante o evento.

Tati, interpretada por Cassia Gil, é uma garota introvertida de 13 anos, que mantém uma relação problemática com a mãe dependente de drogas, papel de Débora Nascimento, e sonha em conhecer seu pai, Jaca, ex-chefe do tráfico local, vivido por Bukassa Kabengele, que está prestes a sair da prisão. Ao voltar para casa, Jaca sonha em começar uma nova vida, longe do tráfico. Quer encontrar um novo lugar para ele e sua família num morro agora comandado por Nelson, papel de José Loreto, um jovem traficante. Mas, encontrar a paz num mundo dominado pela violência não será tarefa fácil, pois a realidade se mostra mais dura do que ele imaginava.

Recentemente, Pacificado ganhou dois prêmios no EnergaCAMERIMAGE, International Film Festival of the Art of Cinematography: melhor direção estreante e melhor direção de fotografia estreante para Laura Merians. O festival, que acontece em Toruń, na Polônia, é o maior e mais reconhecido dedicado à arte cinematográfica e seus criadores: os diretores de fotografia.

Na terça-feira, 03/12, no palco do Cinépolis Manaíra Shopping, em João Pessoa, Paula Linhares e Marcos Tellechea apresentaram o filme ao lado da atriz Débora Nascimento e do ator Bukassa Kabengele, premiado em San Sebastián.

Para falar mais sobre Pacificado, conversamos com Débora Nascimento depois da coletiva de imprensa, que aconteceu no dia seguinte à exibição.

Aperte o play e confira:

*O CINEVITOR está em João Pessoa e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal no YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Mano de Carvalho.

Flavio Bauraqui é homenageado no 14º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro

por: Cinevitor

flaviobauraquiaruandaHomenageado: trajetória brilhante de Flavio Bauraqui.

Com uma programação diversificada de curtas e longas, a 14ª edição do Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro também destaca a carreira de importantes artistas nacionais. Na noite de terça-feira, 03/12, no Cinépolis Manaíra Shopping, em João Pessoa, o ator e cantor Flavio Bauraqui foi homenageado por sua trajetória nos palcos, nas telas e no cinema.

Nascido em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, começou no teatro profissional em 1995 na peça Forrobodó, no Rio de Janeiro. Sua estreia na TV aconteceu em 2003, na série Carga Pesada, da Rede Globo. Entre participações especiais, ganhou destaque na telinha em 2007, com o personagem Ezequiel, um motorista evangélico na novela Duas Caras. Depois disso, atuou em Toma Lá, Dá Cá, Malhação ID, Amor Eterno Amor, Meu Pedacinho de Chão, Filhos da Pátria, O Outro Lado do Paraíso, entre outros.

Nas telonas, foi aclamado logo em seu primeiro trabalho: Madame Satã, de Karim Aïnouz. O longa lhe rendeu indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e ao Prêmio Guarani. Em 2004, recebeu, no Festival do Rio, o Troféu Redentor de melhor ator por Quase Dois Irmãos, de Lúcia Murat. Três anos depois, foi premiado no Cine PE como melhor ator coadjuvante em Os 12 Trabalhos, de Ricardo Elias. No Festival de Gramado, em 2010, recebeu um kikito por sua atuação no curta-metragem Ninjas, de Dennison Ramalho; neste mesmo ano, foi consagrado no Barcelona Cinema Festival pelo curta Heaven Garden. Em 2017, por seu trabalho em Nise – O Coração da Loucura venceu na categoria de melhor ator coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

Também atuou em Quase Memória, Homem Livre, A Vida Invisível, Abraço, Macabro e nos inéditos Pureza, Avó Dezanove e o Segredo do Soviético e Não Vamos Pagar Nada. Atualmente tem se dedicado ao primeiro show solo como cantor, chamado Itinerante.

Em João Pessoa, no Fest Aruanda, recebeu o troféu das mãos do colega Marco Ricca. Emocionado com a homenagem, fez um discurso de agradecimento e cantou para o público presente: “Nós vamos resistir”, finalizou.

Aperte o play e assista ao vídeo da homenagem na íntegra:

*O CINEVITOR está em João Pessoa e você acompanha a cobertura do festival por aqui, pelo canal no YouTube e pelas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram.

Foto: Mano de Carvalho.

A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, aparece entre os melhores do ano da National Board of Review

por: Cinevitor

vidainvisivelNBRJúlia Stockler em A Vida Invisível: filme brasileiro entre os melhores do ano.

A National Board of Review, importante e tradicional organização de críticos de cinema dos Estados Unidos, fundada em 1909, divulga, desde 1932, uma lista com os melhores do ano da indústria cinematográfica. Em 2019, mais de 285 filmes foram analisados por um seleto grupo de cineastas, profissionais e acadêmicos da sétima arte.

Neste ano, o cinema brasileiro ganha destaque com A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, que aparece entre os cinco melhores longas estrangeiros. O drama, que foi premiado na mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes, conta a história das irmãs inseparáveis Guida, que sonha em casar e ter uma família, e Eurídice, a mais nova, pianista prodígio. Um dia, as duas são separadas para sempre e passam suas vidas tentando se reencontrar, como se somente juntas fossem capazes de seguir em frente. Livre adaptação da obra homônima de Martha Batalha, traz Fernanda Montenegro, Carol Duarte, Júlia Stockler, Gregorio Duvivier, Maria Manoella, Bárbara Santos, Flavia Gusmão e Flavio Bauraqui no elenco.

Vale lembrar que a última vez que um filme brasileiro apareceu nesta lista foi em 2015, com Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert. A cerimônia de premiação será realizada no dia 8 de janeiro de 2020, em Nova York, e será apresentada pelo jornalista e humorista Willie Geist.

Confira a lista com os melhores do cinema em 2019 segundo a National Board of Review:

MELHOR FILME: O Irlandês, de Martin Scorsese
MELHOR DIREÇÃO: Quentin Tarantino, por Era Uma Vez em… Hollywood
MELHOR ATOR: Adam Sandler, por Uncut Gems
MELHOR ATRIZ: Renée Zellweger, por Judy: Muito Além do Arco-íris
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Brad Pitt, por Era Uma Vez em… Hollywood
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Kathy Bates, por Richard Jewell
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: Uncut Gems, escrito por Ronald Bronstein, Benny Safdie e Josh Safdie
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: O Irlandês, escrito por Steven Zaillian
MELHOR LONGA DE ANIMAÇÃO: Como Treinar o Seu Dragão 3, de Dean DeBlois
ATOR/ATRIZ REVELAÇÃO: Paul Walter Hauser, por Richard Jewell
MELHOR DIREÇÃO ESTREANTE: Melina Matsoukas, por Queen & Slim
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: Parasita, de Bong Joon-Ho (Coreia do Sul)
MELHOR DOCUMENTÁRIO: Maiden, de Alex Holmes
MELHOR ELENCO: Entre Facas e Segredos
PRÊMIO NBR FREEDOM OF EXPRESSION: For Sama, de Waad Al-Khateab e Edward Watts, e Luta por Justiça, de Destin Daniel Cretton
EXCELÊNCIA EM FOTOGRAFIA
: 1917, por Roger Deakins
NBR ICON AWARD: Martin Scorsese, Robert De Niro e Al Pacino 

MELHORES FILMES DO ANO:
1917
Entre Facas e Segredos
Era Uma Vez em… Hollywood
Ford vs Ferrari
História de um Casamento
Jojo Rabbit
Meu Nome é Dolemite
Richard Jewell
Uncut Gems
Waves

TOP 5 FILMES ESTRANGEIROS:
A Vida Invisível, de Karim Aïnouz (Brasil/Alemanha)
Atlantique, de Mati Diop (França/Senegal/Bélgica)
Dor e Glória, de Pedro Almodóvar (Espanha/França)
Em Trânsito, de Christian Petzold (Alemanha/França)
Retrato de uma Jovem em Chamas, de Céline Sciamma (França)

TOP 5 DOCUMENTÁRIOS:
Apollo 11, de Todd Douglas Miller
Indústria Americana, de Steven Bognar e Julia Reichert
Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story by Martin Scorsese, de Martin Scorsese
The Black Godfather, de Reginald Hudlin
Wrestle, de Suzannah Herbert e Lauren Belfer 

TOP 10 FILMES INDEPENDENTES:
The Farewell, de Lulu Wang
Give Me Liberty, de Kirill Mikhanovsky
Uma Vida Oculta, de Terrence Malick
Judy: Muito Além do Arco-íris, de Rupert Goold
The Last Black Man in San Francisco, de Joe Talbot
Midsommar: O Mal Não Espera a Noite, de Ari Aster
The Nightingale, de Jennifer Kent
The Peanut Butter Falcon, de Tyler Nilson e Michael Schwartz
The Souvenir, de Joanna Hogg
Wild Rose, de Tom Harper

Foto: Bruno Machado.