Cinevitor

Toda semana um novo programa sobre cinema, com os mais variados temas.

CINEVITOR #317: Entrevistas com Gabriel Contente + Rafaela Mandelli + diretor | Intimidade Entre Estranhos

por: Cinevitor

intimidadepgmcinevitorRafaela Mandelli e Gabriel Contente em cena.

Exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e no Festival do Rio, Intimidade Entre Estranhos, dirigido por José Alvarenga Jr., de 10 Segundos para Vencer, chega aos cinemas nesta quinta-feira, 13/12.

Na história, Maria, interpretada por Rafaela Mandelli, muda-se temporariamente para o Rio para estar perto de Pedro, seu marido, papel de Milhem Cortaz, que está atuando numa série para TV. Longe dos amigos e do trabalho, Maria sente-se distante também de Pedro, que passa o dia nas gravações.

Sua solidão tem um observador fiel: Horácio, vivido por Gabriel Contente, um jovem introspectivo, síndico e dono de praticamente todo o prédio onde mora o casal. A relação entre Maria e Horácio começa cheia de atritos, mas, aos poucos, as divergências entre os dois são substituídas por uma aproximação que traz um mundo completamente novo aos dois, do qual Pedro não faz parte.

Para falar mais sobre o filme, conversamos com o diretor e com os atores Gabriel Contente e Rafaela Mandelli. Aperte o play e confira:

Foto: Divulgação/Globo Filmes.

CINEVITOR #316: Entrevista com Filipe Matzembacher e Marcio Reolon | Tinta Bruta

por: Cinevitor

tintabrutapgmcinevitorShico Menegat: prêmio de melhor ator no Festival do Rio 2018.

Depois de passar por diversos festivais ao redor do mundo, Tinta Bruta, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, chega aos cinemas brasileiros pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras.

O longa teve estreia mundial no Festival de Berlim, onde levou o Teddy Award. Foi premiado também nos festivais de Chicago e Guadalajara, no L.A. Outfest e, recentemente, se consagrou como o grande vencedor do Festival do Rio, levando quatro prêmios, entre eles, o de melhor filme.

Tinta Bruta conta a história de Pedro, interpretado por Shico Menegat, um jovem que tenta sobreviver em meio a um processo criminal, à partida de irmã e única amiga e aos olhares que recebe sempre que sai na rua. Sob o codinome GarotoNeon, Pedro se apresenta no escuro do seu quarto para milhares de anônimos ao redor do mundo, pela internet. Com o corpo coberto de tinta, ele realiza performances eróticas na frente da webcam. Ao descobrir que outro rapaz de sua cidade está copiando sua técnica, Pedro decide ir atrás do mesmo.

Para falar mais sobre o filme, batemos um papo com os diretores. Aperte o play e confira:

Foto: Divulgação/Vitrine Filmes.

CINEVITOR #315: Rasga Coração | Entrevistas com elenco + Jorge Furtado

por: Cinevitor

rasgacoracaopgmcinevitorChay Suede e Marco Ricca: pai e filho na ficção.

Exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e no Festival do Rio, Rasga Coração, de Jorge Furtado, é uma adaptação da peça homônima escrita no início dos anos 1970 por Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha.

Com o título emprestado de uma canção de Anacleto de Medeiros, Rasga Coração é a última peça de Vianinha, que a concluiu em 1974, já debilitado por um câncer no pulmão. Ele nunca chegou a vê-la no teatro. Além de censurada, teve sua encenação e publicação proibidas e mesmo assim recebeu o primeiro prêmio no concurso do SNT, por unanimidade da banca, sendo liberada pela Censura apenas cinco anos depois.

O longa conta a história de Manguari Pistolão, interpretado por Marco Ricca, militante anônimo, que depois de quarenta anos de lutas vê o filho Luca, vivido por Chay Suede, acusá-lo de conservador. Sem dinheiro para fechar o mês, sofrendo com as dores de uma artrite crônica, e num crescente conflito com Luca, Manguari passa em revista seu passado, e se vê repetindo as mesmas atitudes de seu pai. Intercalando fragmentos de vários momentos da vida de Manguari, o filme atravessa quarenta anos da vida política brasileira.

O elenco conta ainda com Drica Moraes, Luisa Arraes, George Sauma, João Pedro Zappa, que faz a versão jovem do papel de Marco Ricca, além de Anderson Vieira, Nelson Diniz, Duda Meneghetti, Kiko Mascarenhas, Fábio Enriquez e Cinândrea Guterres.

Para falar mais sobre o filme, fizemos dois programas especiais com entrevistas com elenco e diretor. Aperte o play e confira:

PARTE 1:
Entrevista com Chay Suede e Marco Ricca

PARTE 2:
Entrevista com Drica Moraes e Jorge Furtado

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #314: 5ª Mostra de Cinema de Gostoso | Edição Especial

por: Cinevitor

mostra5gostosopgmcinevitorPé na areia: cinema na praia!

A 5ª Mostra de Cinema de Gostoso exibiu, ao longo de cinco dias, os mais recentes lançamentos cinematográficos brasileiros, entre curtas e longas, em uma tela de cinema ao ar livre, na Praia do Maceió, em São Miguel do Gostoso, no Rio Grande do Norte.

Além disso, o evento contou com atividades paralelas, mostra infantil, Mostra Panorama e exibição dos curtas-metragens realizados por alunos do Coletivo Nós do Audiovisual, formado por jovens de São Miguel do Gostoso interessados em abrir novas possibilidades de atuação e assim realizar filmes.

Para encerrar nossa cobertura, fizemos um programa especial com diversos convidados que marcaram presença por lá, como: o ator Christian Malheiros, do filme Sócrates; a diretora de fotografia do curta-metragem Guaxuma, Maíra Iabrudi; o ator Juan Calado, do curta Nova Iorque; o diretor Wallace Santos, do filme Tingo Lingo, exibido na Mostra Panorama; o montador e coroteirista de Meu Nome é Daniel, Vinicius Nascimento; a cineasta Mirela Kruel, de Catadora de Gente; Marco Antônio Pereira, diretor do curta Teoria Sobre um Planeta Estranho; a diretora do filme Mesmo com Tanta Agonia, Alice Andrade Drummond; e o cineasta Helio Ronyvon, do curta Ainda que Eu Ande pelo Vale da Sombra da Morte.

Aperte o play e confira:

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #313: Entrevista com Nicolas Prattes e Diego Freitas | O Segredo de Davi

por: Cinevitor

segredodavipgmcinevitorNicolas Prattes: estreia nas telonas.

Escrito e dirigido por Diego Freitas, O Segredo de Davi, que já está em cartaz nos cinemas, mostra Nicolas Prattes no papel de um anti-herói cheio de mistérios, em uma trama focada em um jovem universitário que se transforma em um famoso serial killer.

Na história, Davi é um tímido estudante de cinema que esconde um passado sombrio. Ao visitar sua vizinha Maria, um instinto esquecido vem à tona e Davi comete o seu primeiro assassinato. Na manhã seguinte, para surpresa de Davi, Maria reaparece em seu apartamento e passa a influenciar o garoto a seguir numa jornada de crimes que revelarão sua verdadeira natureza: a de um serial killer.

O longa foi selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Montreal (Montreal World Film Festival, MWFF) e foi exibido também no Rio Fantastik Festival 2018 e na 26ª edição do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade. O elenco conta com João Côrtes, Cris Vianna, Bianca Müller, Eucir de Souza, Giselle de Prattes, Tuna Dwek, André Hendges e Neusa Maria Faro.

Para falar mais sobre O Segredo de Davi, conversamos com o diretor e com o protagonista Nicolas Prattes. Aperte o play e confira:

Foto: Divulgação/Parakino Filmes.

CINEVITOR #312: Entrevistas com Marieta Severo, André Ristum e Arlindo Lopes | A Voz do Silêncio

por: Cinevitor

vozsilenciopgmcinevitorStephanie de Jongh e Marieta Severo em cena.

Vencedor dos prêmios de melhor direção e melhor montagem no 46º Festival de Cinema de Gramado, A Voz do Silêncio, de André Ristum, baseia-se em experiências reais da vida do diretor. No filme, um olhar atento varre a cidade grande e suas pessoas anônimas, que vivem em tensão pela sobrevivência, resignados com seus próprios destinos. Um eclipse lunar pontua as mudanças nas vidas dessas pessoas, que compõem um mosaico da cidade.

O longa, que estreia nesta quinta-feira, 22/11, fez sua estreia na competição oficial do Festival de Málaga 2018 e abriu o Festival de Tucuman, na Argentina, onde foi lançado comercialmente em junho. Participou também da 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e foi exibido em sessão hors concours no Festival do Rio.

A Voz do Silêncio conta com Marieta Severo, Ricardo Merkin, Arlindo Lopes, Claudio Jaborandy, Stephanie de Jongh, Marat Descartes, Tássia Cabanas, Nicola Siri, Marina Glezer, Milhem Cortaz e Augusto Madeira no elenco.

Para falar mais sobre o filme, fizemos dois programas especiais com entrevistas com o diretor e com os atores Arlindo Lopes e Marieta Severo. Aperte o play e confira:

PARTE 1:
Entrevista com Marieta Severo

PARTE 2:
Entrevista com Arlindo Lopes e André Ristum

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #311: Entrevista com Marcos Veras e Giovanna Lancellotti | Tudo Acaba em Festa

por: Cinevitor

tudoacabafestacinevitorRosanne Mulholland, Marcos Veras e Giovanna Lancellotti em cena.

Na comédia Tudo Acaba em Festa, de André Pellenz, que estreia nesta quinta-feira, 15/11, Marcos Veras interpreta Vlad, um despreocupado funcionário do RH na empresa Embelex. Chegar atrasado, tirar uma soneca durante o expediente e adiar tarefas fazem parte de sua rotina.

Para melhorar o clima entre os funcionários, agradar o presidente da empresa, impressionar a namorada e crescer profissionalmente, Vlad sugere fazer a melhor festa de confraternização que a empresa já teve. Mas a tarefa não será fácil. Entre confusões que acaba se metendo pelo caminho e cheio de desafios enfrentados para realizar a comemoração de fim de ano, Vlad contará com a ajuda de sua empenhada estagiária Priscila, interpretada por Giovanna Lancellotti.

O elenco conta também com Nelson Freitas, Rosanne Mulholland, Stepan Nercessian e Victor Leal, além de participações especiais de Diogo Vilela, Malu Valle, Amaury Jr. e Maria Clara Gueiros.

Para falar mais sobre Tudo Acaba em Festa, conversamos com os atores Marcos Veras e Giovanna Lancellotti. Aperte o play e confira:

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #310: Entrevista com Fernanda Montenegro | Edição Especial

por: Cinevitor

fermontenegropgmcinevitorDiva: talentosa, premiada e carreira consagrada.

Fernanda Montenegro é considerada a maior atriz brasileira de todos os tempos e completa 75 anos de carreira em 2018. É conhecida também como a dama do teatro, da televisão e do cinema. Ao longo dos anos, atuou em mais de 40 filmes, foi premiada no Brasil e internacionalmente e segue exercendo seu ofício e esbanjando talento aos 89 anos.

Na televisão, foi a primeira atriz contratada pela TV Tupi, em 1951; sua trajetória nos palcos começou na mesma época com a peça O Canto da Cotovia, de Jean Anouilh. Em 1999, foi condecorada com a maior comenda civil do país, a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito e é a primeira brasileira a ganhar o Emmy Internacional na categoria de melhor atriz por seu trabalho no telefilme Doce de Mãe, exibido na Rede Globo.

A arte sempre acompanhou sua família. Em abril de 1953, casou-se com o ator e diretor Fernando Torres, com quem trabalhou diversas vezes, e tiveram dois filhos: a atriz e escritora Fernanda Torres e o diretor e produtor Cláudio Torres.

Entre tantas personagens marcantes, destacou-se em produções televisivas de sucesso, como: Baila Comigo, Brilhante, Guerra dos Sexos, Cambalacho, O Dono do Mundo, Sassaricando, Rainha da Sucata, Zazá, Celebridade, Hoje é Dia de Maria, Belíssima, O Outro Lado do Paraíso, entre outras. No teatro, interpretou textos de autores famosos, como: Bernard Shaw, Nelson Rodrigues, Millôr Fernandes, Adélia Prado e Anton Tchekhov. Com isso, foi consagrada com diversos prêmios, entre eles: Troféu APCA, Troféu Imprensa, Prêmio Molière, Troféu Mambembe e Prêmio Shell.

Nas telonas, também foram diversos trabalhos marcantes. Com Central do Brasil, de Walter Salles, ganhou projeção internacional tornando-se a primeira e única brasileira indicada ao Oscar de melhor atriz. O filme lhe rendou prêmios importantes por sua atuação, entre eles, o Urso de Prata no Festival de Berlim. Foi premiada também no Festival de Havana, pelos críticos de Nova York e Los Angeles, e foi escolhida a melhor atriz do ano pela National Board of Review. Além disso, foi indicada ao Globo de Ouro e ao Satellite Awards.

Entre tantos filmes, atuou em: A Falecida, Eles Não Usam Black-Tie, A Hora da Estrela, O Que É Isso, Companheiro?, Gêmeas, O Auto da Compadecida, O Outro Lado da Rua, Olga, Redentor, Casa de Areia, O Amor nos Tempos do Cólera, Infância, Boa Sorte, entre outros. Em 2019 aparecerá, em pelo menos, três novos filmes: Piedade, de Cláudio Assis; A Vida Invisível, de Karim Aïnouz; e O Juízo, de Andrucha Waddington. Atualmente, se dedica ao longa Ghost of Lina Bo Bardi, de Isaac Julien, em que atua ao lado da filha Fernanda Torres.

Recentemente, Fernanda Montenegro foi homenageada no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e participou da 42ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo para apresentar a cópia restaurada de Central Brasil, que completa 20 anos, ao lado do diretor Walter Salles e do ator Vinícius de Oliveira.

Em entrevista exclusiva para o CINEVITOR, Fernanda Montenegro relembrou momentos inesquecíveis do filme de Walter Salles que ganhou destaque internacional, elogiou colegas de trabalho, revelou bastidores da cerimônia do Oscar e o nome de sua atriz preferida para levar a estatueta dourada no ano em que foi indicada, relembrou as aventuras de divulgação de Central do Brasil pelo mundo, falou com carinho sobre o prêmio da National Board of Review, destacou sua amizade com Lauren Bacall, refletiu sobre a indústria cinematográfica e relembrou alguns trabalhos marcantes nas telonas.

Aperte o play e confira nosso programa especial com a diva Fernanda Montenegro:

Foto: Natali Hernandes.

CINEVITOR #309: Chacrinha: O Velho Guerreiro | Entrevistas com elenco + Andrucha Waddington

por: Cinevitor

chacrinhapgmcinevitorÍcone brasileiro: Chacrinha, interpretado por Stepan Nercessian, com as chacretes.

A trajetória do apresentador que fez história na televisão brasileira será contada na ficção em Chacrinha: O Velho Guerreiro, filme de Andrucha Waddington, que estreia nesta quinta-feira, 08/11. Escrito por Claudio Paiva, o longa traz Stepan Nercessian e Eduardo Sterblitch interpretando as duas fases da vida de Abelardo Barbosa.

O filme mostra sua chegada ao Rio de Janeiro vindo de Pernambuco, onde estudou dois anos de medicina, mas largou a faculdade para se aventurar como locutor de rádio. O apelido Chacrinha surgiu depois de conseguir emprego na Rádio Clube Fluminense, localizada numa chácara da cidade, onde posteriormente lançaria o Cassino do Chacrinha. No filme, conhecemos o perfeccionismo de Abelardo Barbosa, que completaria 100 anos em 2017, em contraste com a espontaneidade do que representava como Chacrinha, a relação conturbada do apresentador com a família e as críticas enfrentadas ao estilo original que mais tarde o consagraria.

No elenco principal também estão Gianne Albertoni como Elke Maravilha e Laila Garin vivendo Clara Nunes. A atriz Carla Ribas é Florinda, esposa de Chacrinha, enquanto Rodrigo Pandolfo e Pablo Sanábio são os filhos do Velho Guerreiro. Boni é interpretado por Thelmo Fernandes, Antônio Grassi vive Oswaldo e Karen Junqueira é Rita Cadillac.

Para falar mais sobre o filme, fizemos dois programas especiais com entrevistas com o diretor e com os protagonistas. Aperte o play e confira:

PARTE 1:
Entrevista com Stepan Nercessian e Eduardo Sterblitch

PARTE 2:
Entrevista com Andrucha Waddington

Foto: Suzanna Tierrie.

CINEVITOR #308: Todas as Canções de Amor | Entrevistas com elenco + diretora

por: Cinevitor

todascancoespgmcinevitorMarina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso em cena.

Dois casais, dois momentos opostos de uma relação. Um começo, um fim. Quando Ana e Chico, recém-casados, se mudam para o novo apartamento, encontram uma fita cassete que Clarice gravou para Daniel, os ex-moradores, no momento em que os dois viviam uma separação. São essas histórias, separadas pelo tempo mas unidas pelo espaço e pela música, que chegam às telas de todo o Brasil, a partir do dia 8 de novembro, com Todas as Canções de Amor, filme de estreia de Joana Mariani na ficção.

Vencedor do Prêmio da Crítica de melhor filme brasileiro na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o longa traz no elenco Marina Ruy Barbosa, Bruno Gagliasso, Julio Andrade e Luiza Mariani. Com direção musical de Maria Gadú, a trilha passeia  por músicas populares de gêneros diversos, com participações especiais de Gilberto Gil e Maria Bethânia, além de nomes da nova geração da música brasileira, como Iza, Liniker e Nina Maia.

Para falar mais sobre Todas as Canções de Amor, fizemos dois programas especiais com entrevistas com a diretora e elenco. Aperte o play e confira:

PARTE 1:
Entrevista com Marina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso

PARTE 2:
Entrevista com Joana Mariani e Luiza Mariani

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #307: Entrevistas com Renato Góes, Ícaro Silva e diretores | Legalize Já

por: Cinevitor

legalizecinevitorpgmRenato Góes e Ícaro Silva: história de amor e música entre amigos.

Com canções de denúncia social e resistência, os amigos Skunk e Marcelo, atualmente conhecido como Marcelo D2, deram os primeiros passos com a banda Planet Hemp. A relação de ambos é tema de Legalize Já – Amizade Nunca Morre, longa dirigido por Johnny Araujo e Gustavo Bonafé, que estreia nesta quinta-feira, 18/12.

Skunk, interpretado por Ícaro Silva, é um artista que sonha em ganhar a vida com o seu talento, enquanto Marcelo, vivido por Renato Góes, trabalha como camelô e não reconhece o potencial que tem como compositor e cantor. A cinebiografia conquistou o prêmio de melhor ficção brasileira segundo o público da 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e também o de melhor longa-metragem pelo Júri Popular e melhor roteiro no 12º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, além de ter participado do Festival do Rio no ano passado.

Para falar mais sobre o filme, fizemos dois programas especiais com entrevistas com os diretores e também com os protagonistas Renato Góes e Ícaro Silva. Aperte o play e confira:

PARTE 1:
Entrevista com Renato Góes e Ícaro Silva

PARTE 2:
Entrevista com Johnny Araujo e Gustavo Bonafé

Foto: Divulgação.

CINEVITOR #306: Entrevista com Vera Holtz | As Quatro Irmãs

por: Cinevitor

asquatroirmascinevitorVera Holtz e as irmãs Teresa, Rosa e Regina: protagonistas.

O documentário As Quatro Irmãs nasceu de um convite da atriz Vera Holtz ao cineasta Evaldo Mocarzel durante os ensaios do espetáculo Um Pai (Puzzle), monólogo estrelado pela atriz Ana Beatriz Nogueira, com direção de Guilherme Leme e Vera, que estreou em fevereiro de 2015 no Rio.

Evaldo Mocarzel havia preparado a adaptação dramatúrgica do livro de Sibylle Lacan e foi assistir a um dos ensaios. A empatia com Vera Holtz foi imediata: conversaram muito sobre teatro, cinema e artes, em geral, e logo nasceu a primeira semente do documentário: um filme que resgata a memória da família da atriz Vera Holtz em um momento em que o casarão do clã Holtz completava 100 anos.

Para o filme, Vera decidiu resgatar a memória de sua família com as irmãs Teresa, Rosa e Regina. Este é o ponto de partida do documentário. Enfrentando lapsos de memória, a atriz tenta reinventar a própria vida no longa: a infância e a adolescência em Tatuí, no interior de São Paulo; a convivência familiar e as irmãs como personas do seu ser, eterna fonte de inspiração para suas personagens.

Para falar mais sobre As Quatro Irmãs, que será exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e lançado comercialmente em dezembro, conversamos com a atriz Vera Holtz.

Aperte o play e confira:

Foto: Aline Arruda.